24.3 C
Rio Branco
18 junho, 2021 12:29 pm

Ap√≥s ataques, moradores de Manaus se trancam em casa; ‘medo’

Os ataques violentos em Manaus entre ontem e hoje deixaram a popula√ß√£o com medo de circular nas ruas da cidade e afetaram a rotina das reparti√ß√Ķes p√ļblicas

POR UOL

Os ataques violentos em Manaus entre ontem e hoje deixaram a popula√ß√£o com medo de circular nas ruas da cidade e afetaram a rotina das reparti√ß√Ķes p√ļblicas. Aulas, vacina√ß√£o contra covid-19 e transporte coletivo foram suspensos.

A auxiliar de sa√ļde bucal Renata Eliza Camur√ßa Afonso, 41, relata que n√£o saiu de casa por medo da viol√™ncia, o que a fez lembrar de uma onda de viol√™ncia ocorrida em 2015.¬†Na √©poca ocorreram 34 homic√≠dios e dez tentativas de assassinato.

“N√≥s tamb√©m ficamos trancados no condom√≠nio com¬†medo. S√≥¬†que desta vez foi pior porque o medo e os cuidados que temos aqui no bairro se¬†espalhou¬†para toda a cidade. N√£o tenho mais vontade de morar em Manaus h√° tempos. Quero ir para um lugar mais seguro.”

Pr√≥ximo da casa da auxiliar de sa√ļde, uma √°rea da prefeitura onde ficam m√°quinas para reparos das ruas foi incendiada durante a onda de ataques. O fogo acabou se alastrando e alcan√ßou uma √°rea residencial.

“Domingo fecharam¬†a avenida Brasil (a principal da zona Oeste de Manaus) e a pol√≠cia n√£o apareceu. Incendiaram o¬†Distrito¬†de obras e s√≥ apareceram os Bombeiros. Mas quando foi para fechar o com√©rcio tinha 20 viaturas na avenida Brasil”, reclama Renata.

Renata Eliza Camurça Afonso disse que se trancou em casa, em Manaus, com medo da violência - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Renata Eliza Camurça Afonso disse que se trancou em casa, em Manaus, com medo da violência Imagem: Arquivo Pessoal

J√° na Zona Centro-Oeste de Manaus uma moradora, que pediu para n√£o ser identificada, relatou que a madrugada foi de tens√£o, com barulho de gritos durante a noite.

Traficantes ficaram nas ruas e demonstravam preocupação da polícia invadir o ponto de venda de drogas.

“Passamos a noite com medo. Nem dormi.”

A dona de casa conta que tinha uma consulta m√©dica marcada h√° duas semanas em uma UBS (Unidade B√°sica de Sa√ļde), mas, ao chegar ao local, os atendimentos haviam sido suspensos.

Segundo ela, o clima é de medo porque a polícia está na rua encapuzada e fazendo abordagens e revistas.

“Pararam nossa moto e revistaram meu filho. Fiquei com medo. Estavam encapuzados.”

A aposentada Albertina Felipe, 62, chegou a ligar para os familiares pedindo que n√£o sa√≠ssem de casa por conta da viol√™ncia. “Uma situa√ß√£o dessas n√≥s ficamos com medo que tudo piore e que as pessoas corram risco de morrer.”

‘Tocaram fogo em pr√©dios’, diz prefeito

A 83,26 quil√īmetros, Careiro Castanho foi um dos¬†seis munic√≠pios do interior alvo dos atentados¬†ap√≥s do tr√°fico neste final de semana. O prefeito Nathan Macena de Souza (Republicanos) afirmou que nunca viu nada parecido. “Tocaram fogo em pr√©dios e atiraram na prefeitura.”

Nathan afirmou que a cidade com cerca de 38 mil habitantes conta com apenas 12 policiais militares. “Temos uma popula√ß√£o espalhada e uma vasta √°rea territorial. Este contingente mal atende a sede da cidade e coloca em risco at√© os policiais. Pedimos e v√£o refor√ßar”, disse o prefeito.

Na madrugada uma delegacia foi alvo de tiros que estilha√ßaram os vidros das portas. Os inc√™ndios avan√ßaram para quatro munic√≠pios do interior do estado, que segundo a SSP (Secretaria de Seguran√ßa P√ļblica) tiveram o policiamento refor√ßado.

Na manhã de hoje, outros registros de violência foram confirmados pela SSP-AM em bairros de Manaus. Desde o início da tarde, não houve novos casos.

Economia e √īnibus

As rotas de transporte coletivo dos funcionários do distrito industrial também tiveram horários suspensos e alterados em função da onda de violência na cidade.

Parte do com√©rcio fechou portas e o transporte p√ļblico coletivo, um dos alvos dos traficantes, foi suspenso. Com isso, a circula√ß√£o de pessoas nas ruas tamb√©m diminuiu.

Segundo o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), os √īnibus voltaram √† circular com 30% da frota e aulas e a vacina√ß√£o devem ser retomadas amanh√£.

David informou que os pr√©dios p√ļblicos atingidos pelos ataques passar√£o por reformas.

No total, 29 ve√≠culos foram incendiados, entre os quais 15 √īnibus do transporte p√ļblico, uma viatura da Pol√≠cia Civil, uma da Pol√≠cia Militar e tratores da prefeitura de Manaus.

Outros 24 inc√™ndios foram registrados em pr√©dios p√ļblicos e bancos. Nem escolas, ambul√Ęncias e UBS foram poupadas. Em nenhum dos ataques foram registrados morte e agress√Ķes a civis ou policiais.

Os autores dos ataques gravaram v√≠deos enquanto queimavam √īnibus e pr√©dios ou atiravam nas delegacias.

Em coletiva, o secret√°rio de Seguran√ßa P√ļblica, coronel Loiusmar Bonates, afirmou que a intelig√™ncia n√£o tinha como prever a rea√ß√£o do tr√°fico ap√≥s a morte de uma das lideran√ßas.

O oficial reconheceu que o contingente policial não é suficiente para garantir a segurança em Manaus e no interior, por isso, o governador Wilson Lima requisitou apoio da Força Nacional para que a cidade volte à normalidade.

Ele negou mensagens an√īnimas atribu√≠das √†s lideran√ßas dos ataques que acusam policiais de “roubarem” drogas de traficantes para revenda.

Os artigos s√£o de responsabilidade exclusiva dos autores. √Č permitida sua reprodu√ß√£o, total ou parcial desde que seja citada a fonte.