23.3 C
Rio Branco
29 julho 2021 2:10 pm

Auxílio emergencial não caiu? Saiba como recuperar o pagamento

Em 2021, o auxílio emergencial deve ser pago até dezembro, em parcelas de até R$ 250

POR DCI

O seu auxílio emergencial não caiu na conta? Veja aqui o que pode ter acontecido e o que fazer para recuperar o pagamento. Em 2021, o benefício deve ser pago até dezembro, em parcelas de até R$ 250.

O que fazer se o meu auxílio não caiu?

Por que o auxílio emergencial não caiu? Você pode estar fazendo essa pergunta agora, depois de ver que a terceira parcela do auxílio emergencial 2021 ainda não entrou no aplicativo Caixa Tem.

E isso não está acontecendo só com você, outros beneficiários também estão sentindo dificuldade com a parcela do auxílio emergencial que não caiu ainda.

O dinheiro é depositado conforme calendário previamente anunciado pela Caixa e a data vai de acordo com o mês de nascimento do beneficiário. Primeiro é transferido o valor do auxílio para o aplicativo Caixa Tem, para depois de liberado o saque, o cidadão conseguir sacar o dinheiro ou transferir para outra conta corrente.

Então, o primeiro passo é conferir o calendário de liberação do auxílio emergencial.

Calendário da terceira parcela do auxílio emergencial

A terceira parcela do auxílio emergencial para o público em geral é depositada na poupança social, ou seja, na Caixa Tem, seguindo o mês de nascimento do beneficiário. Veja as datas abaixo:

Nascidos em janeiro:  recebem dia 18 de junho

Nascidos em fevereiro: recebem dia 19 de junho

Nascidos em março: recebem dia 20 de junho

Nascidos em abril: recebem dia 22 de junho

Nascidos em maio: recebem dia 23 de junho

Nascidos em junho: recebem dia 24 de junho

Nascidos em julho: recebem dia 25 de junho

Nascidos em agosto: recebem dia 26 de junho

Nascidos em setembro: recebem dia 27 de junho

Nascidos em outubro: recebem dia 29 de junho

Nascidos em novembro: recebem dia 30 de junho

Nascidos em dezembro: recebem dia 30 de junho

Já para beneficiários do Bolsa Família o calendário segue o número final do NIS, veja:

NIS com final 1: 17 de junho

NIS com final 2: 18 de junho

NIS com final 3: 21 de junho

NIS com final 4: 22 de junho

NIS com final 5: 23 de junho

NIS com final 6: 24 de junho

NIS com final 7: 25 de junho

NIS com final 8: 28 de junho

NIS com final 9: 29 de junho

NIS com final 0: 30 de junho

Como verificar se o auxílio emergencial caiu na Caixa Tem?

O primeiro passo é entrar no seu aplicativo Caixa Tem, no canto superior, na tela de menu, você vai clicar na opção “mostrar saldo”.

O esperado é que o saldo aparece de forma automática e sempre atualizado. Se você tiver dúvidas quanto ao valor trazido no campo, basta clicar em “extrato”.

Assim como qualquer extrato bancário, nesta opção você vai ver o histórico de uso das parcelas do auxílio emergencial.

Se não tiver caído a parcela do seu auxílio emergencial pode ser que o aplicativo esteja instável.

O que se justifica devido ao alto número de usuários. Neste caso, o beneficiário deve primeiro verificar sua conexão com a internet, também é fundamental atualizar o aplicativo, porque ele pode apresentar erros se você estiver usando uma versão desatualizada.

Se de tudo o seu aplicativo ainda não trouxe o saldo atualizado, reinicie o seu celular, e tente acessar o aplicativo Caixa Tem mais uma vez.

Mas atenção, tente evitar horários de pico, esta é uma orientação da própria Caixa porque logo quando um valor é liberado, muitas pessoas acessam no mesmo momento.

Por que meu auxílio não caiu?

Pode ser que o seu problema não seja na conexão da internet nem no aplicativo, mas sim no atraso mesmo do pagamento da parcela. Usuários do Caixa Tem relatam, desde o começo do programa, ainda em 2020, que o sistema se mostra bastante instável.

O beneficiário precisa saber se o problema é com a Caixa ou com o Governo Federal, isso porque apesar da responsabilidade do pagamento vir da Caixa Econômica Federal, o dinheiro do auxílio sai do Ministério da Cidadania.

Onde reclamar que o meu auxílio emergencial ainda não caiu?

Se você tentou reiniciar o aplicativo ou esperou passar o horário de pico para movimentar o Caixa Tem e ainda assim o seu auxílio emergencial não entrou, você pode verificar o andamento do auxílio emergencial pelo site da Caixa, clicando:

https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio. Ali você terá de colocar sua data de nascimento, CPF, nome completo e o nome da sua mãe.

O segundo local onde você pode reclamar sobre o auxílio emergencial é pela Dataprev, no site: https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta/#/, na página do Ministério da Cidadania pelo link: https://www.gov.br/cidadania/pt-br ou ainda pelo telefone, ligando na central da Caixa 111.

É importante também reunir provas de que você não recebeu, como prints da tela, salvar solicitações feitas pelos sites e links acima e até horário e protocolo das chamadas telefônicas.

Só posso receber o auxílio pelo Caixa Tem?

Sim, o pagamento do auxílio emergencial entre outros benefícios e programas do Governo Federal só podem ser feitos através do Caixa Tem. No fim de 2020, o Governo sancionou a lei que permite que as poupanças digitais, como a do aplicativo Caixa Tem sejam usadas não só para pagar o auxílio emergencial, como também para que trabalhadores recebam benefícios previdenciários e trabalhistas, como o saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e abono salarial.

Desde abril de 2021, o seguro-desemprego também passou a ser pago pelas contas poupança digitais movimentadas pelo Caixa Tem.

Além de conseguir pagar boletos bancários, o beneficiário pode movimentar pelo aplicativo o pagamento de contas de casa e fazer compras com o cartão de débito virtual, como o que dá direito aos prêmios desta campanha, por meio de código QR.

O valor do auxílio emergencial entra no Caixa Tem na data do calendário, e através da conta digital, o beneficiário pode fazer movimentações como pagar boletos e fazer compras. Só não consegue transferir para outra conta. A liberação para transferências só acontece quando a Caixa libera o saque.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.