19.3 C
Rio Branco
19 junho, 2021 5:18 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

CDL publica nota repúdio às aglomerações em CG-MS

Entidade reforça que locais não representam os mais de três mil comércios no município, e não pactua com situação

POR LÚCIO BORGES ORTEGA - CORRESPONDENTE MS

CAMPO GRANDE (MS) – A CDL CG (Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande) que vem trabalhando para que o comércio do seu setor cumpra todas as normas e faça um combate a Pandemia do Covid 19 e vendo a crise que Mato Grosso do Sul está passando em terceira ou continua onda do Coronavirus, publicou no fim da manhã desta segunda-feira (7) e enviou a associados uma nota repúdio sobre as aglomerações em Campo Grande.

O presidente da entidade, Adelaido Vila, é enfático e duro contra os que estão indo contra a maré e pode prejudicar a economia e saúde da grande maioria que está no caminho correto. A entidade aponta que repudia os fatos ocorridos neste fim de semana, com o flagrante, por parte das autoridades, de aglomerações e falta de cumprimento das normas de biossegurança em estabelecimentos da Capital, indo contra à maioria do comerciantes.

“O que vimos neste fim de semana, é quem está indo de encontro (contra) a absoluta maior parte de bares, restaurantes e promotores de eventos que se esforçam para seguir todos os protocolos e garantir, assim, o seu funcionamento e a saúde de empresários, funcionários e clientes”, diz a nota

A entidade pede e apoia mais fiscalização e sanções aos irregulares, bem como aponta que estes locais não representam os mais de três mil CNPJs existentes no município. “Não pactuamos com tal falta de responsabilidade e consciência, reiterando seu apoio aos empresários que lutam para sobreviver com dignidade. Os fatos ocorridos demonstram a necessidade de se ampliar a fiscalização, que tem apoio da entidade, coibindo os que insistem em descumprir as regras e fortalecendo aqueles que fazem sua parte”, ressalta o representante da CDL.

Fiscalizar outros setores

Vila, reforça ainda que é importante salientar que essa fiscalização também deve chegar com grande empenho ao transporte coletivo da Capital, um grande foco de aglomerações de trabalhadores e que, desde o início da pandemia, não tem tido, por parte da administração municipal e demais autoridades, uma solução clara e definitiva, sendo procrastinada e colocando em risco a vida das pessoas que utilizam diariamente esse meio de transporte.

“A CDL CG reforça que continuará lutando em defesa das empresas responsáveis, dos CNPJs que atendem as recomendações de biossegurança e todos os lojistas que precisam trabalhar para sobreviver, especialmente neste período de pandemia”, finaliza a nota.
Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.