20.3 C
Rio Branco
22 julho, 2021 10:46 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

CG-MS se mobiliza por ato nacional em memória às 500 mil mortes por Covid-19

Ato terá diversas lideranças religiosas (Cristãos/ãs, Terreiros de Umbanda, Druidismos Modernos, Indígenas), ativistas de movimentos sociais

POR LÚCIO BORGES ORTEGA - CORRESPONDENTE MS

CAMPO GRADNE (MS) – A capital de Mato Grosso do Sul, também se junta a mobilização de ato nacional em memória às 500 mil mortes pela Covid-19, marcadas no último sábado (19). Hoje, já se deve chegar as 503 mil, mas na noite desta segunda-feira (21), haverá uma mobilização de religiões e ativistas em memória a todos os mortos desta Pandemia. A ação ‘500 velas em memória das 500 mil vidas’, será às 18h na Praça do Rádio, no centro de Campo Grande.

A Capital junta-se a outras cidades do país, na realização de um ato que não deveria existir, onde ninguém desejou que o Brasil alcançasse o número de meio milhão de mortes por Covid-19 e que infelizmente deve continuar a avançar.  A fim de não gerar aglomerações a atividade presencial, se pede para a maioria, acompanhar via transmissão online, que acontecerá com participação virtual de muitas lideranças inter-religiosas.

Conforme a organização do ato, o País chegou nessa marca e demonstra a ausência do Estado na articulação eficaz para o fortalecimento de políticas públicas e estratégias de proteção e cuidado com a população brasileira.

“O ato 500 velas em memória das 500 mil vidas vítimas do Covid-19. também ocorre em Campo Grande, no inicio desta noite, que jamais gostaríamos que acontecesse. Mas, temos que fazer, sendo em um ato plural de memória e justiça as vitimas. Vamos reunir diversas lideranças religiosas (Cristãos/ãs, Terreiros de Umbanda, Druidismos Modernos, Indígenas), ativistas de movimentos sociais e familiares de vítimas da Covid-19”, convoca organização, que pediu para não identificar um só nome de coordenador.

Atual

A mobilização ao convidar para o ato, já lembra que a situação continua na Capital. “Em Campo Grande, somente hoje (21), divulgado a pouco, foi registrado 306 novos casos. No Estado foi registrado 21 óbitos em 24h, são 7.826 mortes. Sem vagas na UTI com lotação passada de 100%”, apontam organizadores

A pauta da manifestação é embasada na pesquisa VIGISAN, onde levantaremos um lamento coletivo, buscando homenagear as pessoas que se foram, acolhendo afetivamente suas famílias, e também reivindicando vacinação para todos, auxílio emergencial e ações de combate à fome para as mais de 19 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar grave.

O ato conta com o apoio da Frente Brasil Popular do MS, MSTMS, CUT, CRJP, CEBI-MS, CIMI, Rede Celebra, FETEMS, outros diversos sindicatos local, entre outras instituições.

“Vivemos um luto coletivo de abrangência nacional. Neste sentido, a articulação dos diferentes segmentos da sociedade civil que realizam estes atos é encontrar coragem e esperança no coletivo, transformando nosso luto em luta, para que não haja ainda mais mortes pela pandemia e endemias sociais entranhados em nosso país”, finaliza organizadores do ato.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.