17.3 C
Rio Branco
21 julho, 2021 9:16 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Entre a cruz e a espada: apoio de Bocalom é desejado por Gladson e Petecão para 2022

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Reforma

O governador Gladson Cameli (Progressistas), enviou ontem para a Aleac uma proposta de reforma administrativa no Executivo estadual. Segundo o líder do governo, o deputado Pedro Longo (PV), “não chega a ser uma nova reforma administrativa, mas algumas alterações sugeridas pelo governo”. O problema é que sendo reforma ou não, o texto, que prevê a extinção de 10 cargos comissionados de CEC 1, acrescenta outros dois com salários que devem ultrapassar R$ 19 mil. A conta não bate.

Reforma 2

Na mesma proposta, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) muda de nome e passa a se chamar Secretaria de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (SEMAPI), enquanto o Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa) ficará sob o comando da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra). O projeto deve ir para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Aleac amanhã, e se for aprovada, seguirá para apreciação dos deputados no plenário da Casa, mas sem data definida.

Dívida

Assim como a ex-prefeita Socorro Neri já afirmou ter uma dívida de gratidão com o governador Gladson Cameli, por tê-la apoiado nas últimas eleições, o prefeito Tião Bocalom (Progressistas) também disse ter uma dívida de gratidão, só que com o senador Sérgio Petecão (PSD) pelo mesmo motivo. Em entrevista a um site local, o prefeito disse que tem um compromisso com Petecão e a senadora Mailza (Progressistas), que foram quem “bancaram politicamente” a candidatura dele, que saiu vitoriosa nas urnas.

Deslize

Na mesma entrevista, Bocalom reconheceu que os secretários municipais de Saúde, Frank Lima, e de Meio Ambiente, Normando Sales, “pisaram na bola”. De acordo com o chefe do executivo, o deslize de Sales foi com relação a uma dispensa de licitação no valor de R$ 7,3 milhões, para contratar uma empresa de serviços terceirizados. A licitação teve que ser revogada. Com relação ao gestor da Saúde, a falha foi com relação ao início da vacinação, mas segundo o prefeito, a situação já se ajustou.

Tem boca não?

Se ontem, Bocalom disse que está mais perto de Petecão do que de Gladson em 2020, hoje o prefeito se encontrou com o governador, em uma reunião repleta de troca de gentilezas. As imagens do encontro, que contou também com a presença da senadora Mailza Gomes, foram compartilhadas nos perfis de Gladson nas redes sociais. Há algumas semanas, Gladson chegou a afirmar que estava “namorando” o prefeito de Rio Branco para ganhar apoio nas eleições para o governo, em 2022. Bocalom tá mais disputado que tacacá em dia de friagem.

Independência

Mesmo com a filiação ao Podemos, partido da base de Cameli, o deputado Neném Almeida reafirmou sua posição de independência na Aleac. O deputado disse que recebeu o convite de retorno à base do próprio governador e que ficou de pensar, já que, como independente, “nunca esteve tão feliz como está hoje”. Outra coisa que pode atrapalhar uma possível volta de Neném para a base é que, segundo ele, “tem gente do governo que o quer na base”.

Voto impresso

Quem saiu em defesa da proposta do voto impresso, defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), foram os irmãos Rocha, Mara e Wherles. A deputada federal Mara Rocha fez, hoje, uma postagem em seu Facebook defendendo a alteração na forma de votar e o presidente. “A união de líderes de partidos contra a proposta de mudança para voto impresso não representa o desejo da maioria da Câmara dos Deputados”, escreveu. A postagem foi compartilhada pelo vice-governador, Wherles Rocha.

Agradecimento

Exonerados na última segunda-feira (28) das secretarias de Infraestrutura e Saúde, Ítalo Medeiros e Alysson Bestene receberam um agradecimento público do governador Gladson Cameli. Realocados para a Secretaria de Assuntos Governamentais, o gestores agora cuidarão da articulação política do governo. Para Gladson, ambos os gestores atuaram com ‘bravura’ enquanto comandavam suas pastas. “Cada um de vocês contribuiu para o funcionamento do governo do Estado nesse período em que foram gestores de duas pastas. Vocês estão de parabéns pelo excelente trabalho realizado. Minha gratidão e sucesso em seus novos projetos”, disse o governador.

Rio Branco/Cruzeiro do Sul

O problemático trecho da BR-364, entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul, está preocupando o deputado federal Jesus Sérgio (PDT). O deputado encaminhou hoje, ao DNIT, um ofício solicitando informações sobre como anda a manutenção da BR e fez um apelo, para que o órgão faça um esforço de trabalho intenso, para aproveitar os meses de menor incidência de chuvas durante o verão amazônico.

Xepa

A tão comentada xepa da vacina ganhou hoje mais um capítulo, com a aprovação por unanimidade na Câmara de Vereadores, de um requerimento que pede informações à Prefeitura sobre a sobra das vacinas. A PMRB terá 30 dias para enviar as informações com a lista dos vacinados com a xepa e quais os critérios utilizados para definir quem entra na fila. A vereadora Michelle Melo (PDT) foi a autora do pedido.

Exemplo

Destaque entre os prefeitos eleitos no último pleito, Zequinha Lima (Progressistas), de Cruzeiro do Sul, tem ganhado elogios até de parlamentares de partidos de oposição. Hoje, o deputado estadual Edvaldo Magalhães (PCdoB) elogiou o chefe do executivo municipal da cidade do interior. Para o comunista, a logística de vacinação de Cruzeiro do Sul deveria ser usada como referência para outros municípios, já que por lá, houve celeridade e organização desde o início da campanha de imunização.

Convocado

O deputado federal Leo de Brito (PT) aprovou hoje, na Câmara Federal, um requerimento para que o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, preste esclarecimentos na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) sobre ameaças feitas ao deputado federal Luis Miranda e o pedido de investigação ao servidor do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Miranda, que denunciaram o suposto esquema de compra superfaturada da vacina indiana Covaxin. “Ao invés de se manifestar pela investigação do esquema de corrupção, diz que o presidente Bolsonaro determinou que a PF e a CGU investiguem os denunciantes. Um absurdo! Essa ameaça viola claramente a Lei de Abuso de Autoridade e é um ataque as prerrogativas parlamentares”, disparou. A ida do ministro à CFFC para prestar esclarecimentos está marcada para o dia 14 de julho.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.