30.3 C
Rio Branco
25 julho, 2021 10:45 am

Fieac, Mulheres da Indústria e primeira-dama discutem apoio a casas de passagem

Situação crítica de entidades de apoio a pessoas em tratamento na capital sensibiliza ala feminina do setor produtivo

POR ASCOM

Sensibilizados pelas condições financeiras e até sanitárias de algumas casas de passagem de Rio Branco, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC), José Adriano, e o Grupo de Mulheres da Indústria estiveram reunidos com a primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli, e a secretária de Estado de Assistência Social, Ana Paula Lima, na tarde desta quarta-feira, 23 de junho. O encontro foi realizado na Sala de Reuniões do Palácio Rio Branco, com objetivo de buscar soluções para que tais entidades não fechem as portas, deixando de atender pacientes que vêm de diversos municípios para a capital, em tratamento.

“É uma situação muito preocupante e urgente. As pessoas que trabalham nesses lugares são verdadeiros anjos que se colocam à disposição de outras que estão em sofrimento. Os três municípios que mais demandam essas casas de passagem são Cruzeiro do Sul, Feijó e Tarauacá, a maioria dessas pessoas com problemas cardíacos, câncer e até a parte de dependentes químicos”, resumiu Adriano. “Por menor que seja o trabalho feito em solidariedade a essa situação, significará muito a essas pessoas que estão sem perspectivas sequer de alimento”, complementou.

O Grupo acenou com a possibilidade de o Gabinete da Primeira-Dama intervir junto aos parlamentares para auxiliar o trabalho dessas entidades ou a criação de um programa emergencial de solidariedade e apadrinhamento, unindo outras instituições. A secretária Ana Paula Lima se colocou à disposição para auxiliar, alertando que as entidades precisam regularizar sua documentação. “Nós ficamos tristes porque, muitas vezes, esbarramos nesse problema. Vamos conversar com o secretário de Saúde, Alysson Bestene, para sugerir que as pastas se unam e, assim, podermos fazer mais por essas entidades, um grande mutirão”, garantiu.

Pelo Grupo de Mulheres da Indústria, a empresária Zu Oliveira se comprometeu em fazer um levantamento da real situação documental das casas de apoio. “Também gostaríamos de trazer representantes das casas em situação mais emergenciais para uma segunda reunião”, sugeriu. Por sua vez, a primeira-dama Ana Paula Cameli informou que o Ministério Público Estadual fará uma doação em dinheiro para a área social, indo ao encontro das necessidades emergenciais apresentadas na reunião. “Então, passaremos uma lista dessas entidades para a Procuradoria-Geral do Ministério Público e contamos com o apoio de vocês para fazer esse levantamento”, finalizou.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.