19.3 C
Rio Branco
22 junho, 2021 6:22 am

GNT lança documentário com Lumena, Boca Rosa, Leo Dias e mais

Produção convida especialistas de diversas áreas para debater sobre a cultura do cancelamento

POR METRÓPOLES

A cultura do cancelamento é tema do documentário Vou Te Cancelei, que estreia no GNT na próxima quinta (3/6), às 22h30, com críticas e ponderações sobre o fenômeno do linchamento virtual.

Dividida em três atos, a produção convida especialistas de diversas áreas — como filósofos, cientistas de redes sociais e algoritmos, além de celebridades que já passaram por esse processo — para analisar as origens e os efeitos sociais e psicológicos do cancelamento, além de meios para reverter esse comportamento.

Entre os convidados estão Lumena Aleluia, uma das sisters que deixou o BBB21 com rejeição, a influenciadora e empresária Bianca Andrade, também conhecida como Boca Rosa, que perdeu milhares de seguidores ao fazer declarações polêmicas sobre o feminismo na edição do ano passado do reality show, e Hosana, maquiadora e youtuber que se tornou um meme ao cometer um erro geográfico em um protesto contra as queimadas na Amazônia.
Além de famosos, o filme investiga a aplicação do termo na política, com depoimentos de Kim Kataguiri e Sâmia Bomfim.
Outras personalidades como Leo Dias, Rafinha Bastos, Ana Paula Passarelli, Christian Dunker, Jojoca, Andrew Keen, Carlos Alberto Simões, Leandro Narloch e Vera Iaconelli também integram a produção.

Segundo Guilherme Melles, um dos diretores de Vou Te Cancelei, o maior desafio na produção do longa foi “encontrar pessoas dispostas a olharem pra câmera e dizerem: sim, eu sou um cancelador”.

“E devo começar por mim: eu sou um cancelador. Já fui mais, venho aprendendo a ser menos…O desafio que eu e a Gabriela Brigagão, que dirigimos o filme, nos propusemos foi o de entender se nosso jeito de viver hoje, somado ao uso frenético das redes sociais, está nos deixando piores ao julgar e criticar. O filme traz cancelados famosos e anônimos, psicólogos, filósofos, fofoqueiros, estudiosos da cultura digital para tentarmos entender como chegamos aqui e se há um caminho para sair dessa situação. E um spoiler: na busca pelos canceladores, descobrimos que todos os somos”, comenta Guilherme Melles.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.