21.3 C
Rio Branco
24 julho, 2021 8:47 am

Inspetor de grupo de elite da Polícia Civil morre de Covid-19 aos 43 anos

Alexandre Panichi lutava contra complicações da doença há quase 50 dias, segundo secretaria de Polícia Civil. Ele participou da operação na comunidade do Jacarezinho, que terminou com 28 mortes

POR G1 RJ

O policial civil Alexandre Panichi, de 43 anos, morreu nesta segunda-feira (28) de Covid no Rio. A informação foi confirmada pela Secretaria de estado de Polícia Civil (Sepol), através de uma rede social.

De acordo com a pasta, Pancini “lutou bravamente” por quase 50 dias contra complicações da doença. Ele era policial civil há sete anos e estava na Core, a Coordenadoria de Recursos Especiais, desde 2015. (Veja a íntegra da nota no fim da reportagem)

A secretaria destacou que Alexandre Pancini participou recentemente da operação na comunidade do Jacarezinho, Zona Norte do Rio, que terminou com 28 mortos. Segundo a polícia, a “coragem, a humildade e o profissionalismo” eram características da vítima da doença.

A Sepol fez um apelo para que todos continuem seguindo as medidas protetivas e reforçou que a pandemia ainda não acabou. A Polícia Civil afirmou que se solidariza com familiares e amigos pela morte do inspetor, que “sempre foi admirado e respeitado por todos”.

‘Coração gigante’, diz Core

A Core informou que “está de luto pela perda precoce de um de seus maiores guerreiros”. A coordenadoria disse que Alexandre foi um “grande homem” e um “guerreiro de um coração gigante”.

Um dos amigos de profissão, que preferiu não se identificar, lamentou a morte do companheiro. “Ele era muito gente boa. Um moleque do bem, brincalhão e honesto”, disse.

Íntegra da nota da Polícia Civil

“É com profundo pesar que a Secretaria de Estado de Polícia Civil informa o falecimento do inspetor Alexandre Panichi, de 43 anos, nesta segunda-feira (28/06). Ele lutou bravamente por quase 50 dias contra complicações da Covid-19.

Panichi era policial civil há sete anos e estava lotado na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) desde 2015. Em um dos seus últimos atos profissionais, ele rompeu a barreira do Jacarezinho e conseguiu liberar passagem para a tropa cumprir o papel de combate ao crime organizado naquela localidade.

A coragem, a humildade e o profissionalismo sempre foram características marcantes de Alexandre Panichi. Descanse em paz, guerreiro! Por aqui, seus amigos continuarão combatendo a criminalidade, assim como você sempre fez.

A Sepol se solidariza com familiares e amigos pela morte do inspetor que sempre foi admirado e respeitado por todos; e honrou sua brilhante trajetória na Polícia Civil #RJ.

Infelizmente, as mortes causadas por esse vírus continuam sendo uma triste realidade. É importante que todos sigam as medidas protetivas. A pandemia ainda não acabou”

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.