20.3 C
Rio Branco
24 junho, 2021 6:32 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Junho laranja: Santa Casa reforça alerta para sequelas causadas por queimaduras

Santa Casa de Campo Grande recebe inúmeros pacientes de todo MS vítimas de queimaduras de 1º (superficiais), 2ª (parcial) ou 3ª grau (total/profundas)

POR LÚCIO BORGES ORTEGA - CORRESPONDENTE MS

CAMPO GRANDE (MS) – As queimaduras podem causar diversos danos à pele da pessoa, desde cicatrizes até mesmo deformidades, dependendo do grau de comprometimento das camadas danificadas. São lesões causadas pelos mais diversos tipos de fatores, como líquidos quentes, superfície superaquecidas, abrasão, combustível, descarga elétrica e muitas outras situações que podem causar sequelas permanentes e, em alguns casos, o óbito dos pacientes.

Frequentemente, a Santa Casa de Campo Grande recebe inúmeros pacientes da Capital e do interior do Estado vítimas de queimaduras de 1º (superficiais), 2ª (parcial) ou 3ª grau (total/profundas). E de acordo com cada camada comprometida é necessário um tipo de tratamento, seja ele cirúrgico ou não. Neste ano, apenas nos primeiros meses de 2021, o Centro de Tratamento de Queimaduras (CTQ) do hospital já registrou 96 internações no setor. Além destes, muitos pacientes também ficam internados em Unidade de Terapia Intensivas (UTI).

Muitos casos atendidos pelos profissionais no setor chamam a atenção pela complexidade, uma situação que é alertada pela cirurgiã plástica, Drª Renata Ferro, chefe do serviço no hospital. “O álcool, a eletricidade, abrasão e os casos de crianças queimadas são os mais comuns, e em sua maioria mais graves. Esses casos nos preocupam ainda mais, pois geralmente são lesões profundas na pele que demanda uma internação prolongada e sequelas importantes. Muitos necessitam de acompanhamento por anos, inclusive com danos estéticos”, comentou.

A maior causa de internações no hospital este ano está relacionado ao uso incorreto de álcool em chapas com 41 pacientes, mas também houveram outras incidências 27 por líquidos quentes, 13 por descarga elétrica, seis por superfície superaquecidas entre agentes causadores da queimadura. Os pacientes queimados permanecem mais tempo no hospital devido a procedimentos cirúrgicos e curativos específicos que precisam ser feitos pela equipe multiprofissional afim de reverter complicações mais severas.

Sequelas pós-queimaduras são sempre preocupantes e em sua maioria permanentes, podendo também gerar redução da mobilidade. “Cores de pele diferentes, retração cicatricial, queloides e outras situações são consequências mais comuns nos casos graves, mas um outro agravante é a mobilidade que fica reduzida, isso compromete a autoestima, o desempenho no trabalho ou na escola até o prejuízo social muito grande. Por isso precisamos nos atentar a prevenção, pois muitos desses casos poderiam ser evitados”, destacou.

Junho laranja

Este mês também é dedicado a alertar a sociedade para a importância da prevenção a queimaduras, que deve ser todos os dias. Esta data foi instituída pela Lei nº 12.026/2.009 com o objetivo de divulgar medidas preventivas com foco na redução da incidência de acidentes envolvendo queimaduras, que acometem 1 milhão de pessoas, anualmente, no mundo inteiro. E no Brasil, são cerca de 150 mil internações por ano, sendo que 30% desse número são envolvendo crianças.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.