31.3 C
Rio Branco
10 junho, 2021 1:50 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

‘No tom do futuro’ da aula de música e artes em bairro de CG-MS

No tom do futuro: ensina jovens carentes na periferia da Capital

POR LÚCIO BORGES ORTEGA - CORRESPONDENTE MS

CAMPO GRANDE (MS) – Quem tem o ouvido mais atento pode escutar diversos acordes musicais se espalhando ao caminhar pelas ruas do mais populoso bairro de Campo Grande, o Aero Rancho. O som vem de crianças e adolescentes das Obras Sociais Francisco Thiesen, onde participam e aprendem música e outras artes. A instituição que desde 1996 atua na periferia da cidade, realiza no local ações socioeducativas diárias para quem está na faixa etária dos 5 aos 16 anos.

O Thiesen oferece aulas de português, matemática, inglês, espanhol, informática, cidadania, Educação Física e preparação para o trabalho, atendendo mais de 400 crianças e adolescentes. Com isto, foi reconhecida no final de 2020, para recebeu da MSGÁS ( Companhia de Gás de Mato Grosso do Sul), um repasse de quase R$ 231 mil para implementar oficinas de música e artes do projeto Tekotee. E a empresa realizou uma chamada pública de patrocínios para projetos de esporte e cultura do Estado, contemplando ainda a Fundesporte e a Companhia Dançurbana.

Desde então, as aulas de música e artes no Thiesen estão a todo vapor. Os assistidos estão aprendendo a tocar instrumentos como flauta, violão, violino, viola clássica, violoncelo, contrabaixo acústico e ainda tendo aulas de teoria musical, ballet, futsal e artes visuais. As aulas acontecem de segunda a sexta, das 13h30 às 17 horas. São assistidos crianças e adolescentes carentes do Aero Rancho e região. Além das oficinas, os alunos recebem também duas refeições diárias e todos devem estar matriculados regularmente na rede pública de ensino.

Os filhos da auxiliar de serviços gerais Eliete Vieira são dois dos contemplados pelas atividades do Thiesen. Antoniele Mayara, 12 anos, e, Antônio Henrique, 10, participam desde os seis  anos dos projetos, aprendendo balé, flauta, futsal e violão. Para ela, poder vê-los aprendendo e se desenvolvendo a cada dia que passa é motivo de muito orgulho. “Minha filha que hoje tem 18 anos também participou e acredito que tudo isso pode ser muito útil no futuro. Eu jamais teria condições de pagar nenhuma dessas aulas para eles, o que me deixa ainda mais feliz pela oportunidade”, afirma.
Mãe coruja

A auxiliar de sala Edilaine Chechi é outra mãe orgulhosa ao ver a performance dos filhos. Julia, de 11 anos, toca violoncelo e flauta e ainda dança ballet. Já Artur, com 10, estuda a viola clássica e o violão.

“Eles estão muito felizes e entusiasmados, o Thiesen sempre os recebeu muito bem e esse projeto veio em boa hora. Nossas crianças precisam muito de um lugar que os acolha com carinho e amor. Eu me sinto de certa forma realizada, pois meus filhos queriam fazer aulas de música, mas não temos condições financeiras. Muitas vezes pensei que não conseguiria dar a eles essa possibilidade, mas hoje vejo eles tendo essa oportunidade única, que vai melhorar em muito a vida futura deles. São um orgulho e uma satisfação que não cabem no peito”, conta.

Direção da MSGás avalia

Segundo João Carlos Rosa, presidente do Conselho Diretor da entidade, esse repasse da MSGÁS de R$ 230.671,53, realizado no final de 2020, foi uma alavanca muito poderosa para as ações do Thiesen, no campo da assistência social e na prevenção à marginalização. “Já realizamos esse tipo de ação desde 1997, mas é a primeira vez que recebemos um recurso tão substancial quanto esse”, afirma.

Com essas oficinas, segundo ele, a ideia é preparar essas crianças e adolescentes para o futuro, para que elas inclusive possam ingressar no mercado de trabalho e até mesmo na carreira acadêmica, como musicistas e professores de música. Além disso, esse repasse possibilitou realizar um sonho antigo da instituição, o de ter uma Orquestra de cordas. Os alunos aprendem não apenas a tocar os instrumentos escolhidos por eles de maneira profissional, como também têm aulas de teoria musical, o que possibilita a cada um deles um aprendizado profundo.

Para o diretor-presidente da MSGÁS Rui Pires dos Santos, é uma grande realização para todos da companhia poder fomentar esse tipo de iniciativa, fomentando a cultura e a assistência social em diversas esferas. “Esse tipo de incentivo tem como principal aspiração cumprir o papel social da companhia em devolver à sociedade de Mato Grosso do Sul parte do valor agregado resultante dos negócios”, afirma.