16.3 C
Rio Branco
29 julho 2021 4:04 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Deputado diz que obra do governo, orçada em R$ 400 mil, não passa de uma “geringonça”

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Geringonça

Já criticada ontem pelo deputado Daniel Zen (PT), hoje foi a vez dos deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB) e Roberto Duarte (MDB) condenarem as “paradas de ônibus” construídas pelo Governo do Estado em frente a escolas rurais, e orçados em cerca de R$ 400 mil, cada. “A obra é maior que a escola”, reclamou Roberto Duarte. Para Edvaldo, a construção não passa de uma geringonça. “Com um custo superior a 400 mil, decidiram que a comunidade escolar precisava desse trambolho. Ao fundo é a escola. Em madeira”, tuitou.

Justificou

O líder do governo na Aleac, Pedro Longo (PV), defendeu as construções do que segundo ele, são portais. As obras serão realizadas em 18 escolas rurais, e de acordo com o parlamentar, os custos são inferiores aos destacados pelo deputado Daniel Zen, com custo médio de R$ 330 mil, pois variam de acordo com a necessidade de cada escola. Ainda segundo Longo, a obra vai “levar dignidade aos alunos, professores e funcionários das escolas rurais, diminuindo poeira e lama na chegada e saída dos alunos”.

Aviação

Na semana passada, a secretária de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, já havia reclamado em uma reunião com o Ministério do Turismo, dos preços das passagens de avião para sair ou chegar no Acre, mesmo com a redução do ICMS nos combustíveis, concedida pelo governo estadual. Hoje, o deputado Edvaldo Magalhães foi além, o parlamentar quer que o governo revoge a medida. Para Edvaldo, não faz sentido manter o benefício se as passagens continuam caras. Apenas a aviação regional seria contemplada com a redução do ICMS na proposta do deputado. É justo!

App 2ª dose

Na sessão de hoje na Aleac, o deputado Jenilson Leite (PSB) arranjou uma boa solução para combater a evasão de quem ainda não foi tomar a 2ª dose da vacina contra a Covid: um aplicativo para celular. A sugestão do deputado é que a partir do cadastro feito na aplicação da 1ª dose, os gestores da campanha de vacinação enviem avisos para lembrar às pessoas o dia correto da vacina. Um simples sms também já ajudaria bastante. Ótima ideia do deputado.

PCdoB

Os comunistas do Acre já tem data para a Conferência Estadual: dia 2 de outubro. A data foi decidida durante uma reunião da direção estadual do partido, ocorrida na noite de ontem. Mas antes da reunião estadual, o PCdoB quer fazer mobilizações em todos os municípios do Acre.

Hipocrisia

O senador Marcio Bittar (MDB) saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro em um vídeo gravado para a sua página do Facebook. Bittar acusa de hipocrisia os políticos e a militância da esquerda que vem tomando a vacina contra a Covid e fazendo protestos contra o presidente, já que, foi “o presidente que comprou e esparramou 150 milhões de vacinas pelo Brasil”. O senador diz ainda que fica espantado com as pessoas culpando o presidente “por aquilo que o vírus fez. Pois é o vírus que mata as pessoas no mundo inteiro”.

04

O filho “04” do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan Bolsonaro, foi alvo de críticas do deputado federal acreno Leo de Brito (PT). Leo acusa o jovem de tráfico de influência. Segundo o deputado, Renan recebeu um carro avaliado em mais de R$ 90 mil da empresa Gramazini Granitos e Mármores Thomazini para articular um encontro entre a empresa e o Ministério do Desenvolvimento Regional. Para o deputado, isso “colocou definitivamente a Presidência da República na investigação do esquema de tráfico de influência no ministério”.

Saúde indígena

Em Brasília, a senadora Mailza Gomes (PP) e o governador Gladson Cameli (PP) se reuniram hoje com o secretário especial de Saúde Indígena, Robson Santos, no gabinete da Secretaria Especial de Saúde Indígena. Na reunião, ficou decidido que a senadora vai enviar R$1 milhão em emendas para reconstrução Casa de Apoio à Saúde Indígena, Casai, em Rio Branco.

Sommelier de vacina

O prefeito do Recife, o jovem João Campos (PSB), resolveu punir os famosos ‘sommelier de vacina’. As pessoas que se recusarem a receber um determinado imunizante no momento da vacina, precisará esperar mais 60 dias para conseguir se vacinar. Uma boa estratégia para espantar de uma vez quem escolhe vacina feito escolhe vinho. Bem que o prefeito Tião Bocalom poderia copiar a ideia por aqui.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.