17.3 C
Rio Branco
21 julho, 2021 6:08 am

Em um ano, mortes que ficaram sem esclarecimentos aumentaram mais de 100% no Acre

Para chegar à estatística, foram consideradas apenas os “encontros de cadáveres sem lesões aparentes” e as mortes com “dúvidas quanto a suicídio ou morte provocada”

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta semana, o Acre não esclareceu pelo menos 31 mortes que ocorreram entre os anos de 2019 e 2020.

A variação é de 107%, sendo que no primeiro ano o número foi de 10 casos não resolvidos, contra 21 em 2020.

As mortes sem causa conhecida aparecem quando não há o correto preenchimento das informações das vítimas e dos incidentes e, sobretudo, quando não se consegue estabelecer a causa das mortes violentas: homicídios, acidentes de trânsito ou suicídios.

Para chegar à estatística, foram consideradas apenas os “encontros de cadáveres sem lesões aparentes” e as mortes com “dúvidas quanto a suicídio ou morte provocada”. As mortes suspeitas acidentais e súbitas não foram incluídas.

Em 2018, o Acre registrou 17 casos, mas teve queda em 2019 e voltou a crescer em 2020.

A unidade com o maior índice é o Mato Grosso do Sul, com 1.009 em 2019 e 1.026 em 2020.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.