20.3 C
Rio Branco
29 julho 2021 10:41 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Fotógrafo registra constelação de observatório que proporciona visão privilegiada do céu

Silas Ismael explicou que não houve nenhum tipo de montagem nas fotografias e que todas as imagens passaram apenas por um tratamento normal. Registro foi feito na região de Corguinho

POR G1

Acompanhado do operador do Observatório CTZ e um amigo, o fotógrafo Silas Ismael, de 30 anos, estava apreciando o céu quando viu duas luzes locomovendo-se juntas.

Com o equipamento em mãos, ele conseguiu registrar imagens incríveis de um quadrante do céu repleto de estrelas.

O flagrante foi feito na comunidade Zigurats, localizada em Corguinho, fica a 120 km de Campo Grande, lá está localizado o único observatório astronômico do estado.

Silas conta que era por volta das 18h51 desta terça-feira (13), quando conseguiu observar as duas luzes:

“Eu já estava tirando fotos do céu. Já estava com o foco pronto quando vimos as duas luzes se movendo juntas, e se afastando gradativamente até apagar, eu só posicionei a câmera que estava no tripé e meio abismado consegui 2 cliques. Foi surreal”, explicou ao G1.

Segundo o meteorologista Natálio Abraão, ver imagens celestes com mais ou menos nitidez tem a ver com a transparência da atmosfera e com a luminosidade.

Ele explicou que em locais longe de luz e sem partículas de poeiras ou fumaças, isso é mais visível.

“Não se faz observações do tipo perto de cidades, mas, em locais isolados. Com o tempo seco e sem a interferência de partículas como os desertos, isso é mais eficiente”, reforçou.

Conforme o fotógrafo, em um dos registros, é possível ver que até aparece o rastro de seu apontador de laser verde no momento que usou para mostrar as luzes aos amigos. Ele utiliza o apontador a laser que auxilia a dar foco mais preciso nas estrelas.

Fotógrafo registra estrelas no céu de Corguinho (MS) — Foto: Silas/Ismael
Fotógrafo registra estrelas no céu de Corguinho (MS) — Foto: Silas/Ismael

Para fazer os registros, Silas contou que usou a técnica fotográfica de longa exposição, quando o sensor fica exposto por alguns segundos para captar a imagem, normalmente utilizada em ambientes com pouca luminosidade.

O profissional ainda explicou que não houve nenhum tipo de montagem nas fotografias e que todas as imagens passaram apenas por um tratamento normal, como alteração de realce, sombra, exposição, contraste e saturação.

O profissional ainda explicou que não houve nenhum tipo de montagem nas fotografias e que todas as imagens passaram apenas por um tratamento normal, como alteração de realce, sombra, exposição, contraste e saturação.

Veja a baixo sequência de fotos

Fotógrafo faz registros de céu estrelado em MS — Foto: Silas Ismael/Foto
Fotógrafo faz registros de céu estrelado em MS — Foto: Silas Ismael/Foto

Fotógrafo faz registros de céu estrelado — Foto: Silas Ismael/Foto
Fotógrafo faz registros de céu estrelado — Foto: Silas Ismael/Foto

Fotografo utiliza observatório para fazer registro do céu em MS — Foto: Silas Ismael/Foto
Fotografo utiliza observatório para fazer registro do céu em MS — Foto: Silas Ismael/Foto

Fotografo faz foto do céu de MS — Foto: Silas Ismael/Foto
Fotografo faz foto do céu de MS — Foto: Silas Ismael/Foto
Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.