23.3 C
Rio Branco
29 julho 2021 2:29 pm

Leo de Brito agora mira Jair Renan e diz que o ’04’ de Bolsonaro comete tráfico de influência

Depútado petista diz que filho mais jovem do presidente pratica crime de tráfico de influência no Planalto

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

O deputado federal Leo de Brito (PT-AC) está convencido de que o filho mais novo do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan, conhecido como o “04”, também está envolvido com crimes de tráfico de influência envolvendo o Palácio do Planalto. O deputado fez a afirmação a partir da audiência do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, no qual ele revelou a realização de uma audiência realizada em seu gabinete com os donos da empresa Gramazini Granitos e Mármores Thomazini e o filho mais novo do presidente Bolsonaro, no ano passado.

Isso, de acordo com Leo de Brito, “colocou definitivamente a Presidência da República na investigação do esquema de tráfico de influência no ministério”. Jair Renan, segundo o deputado, recebeu um carro elétrico avaliado em R$ 90 mil da empresa e, um mês depois do presente, em outubro de 2020, o encontro ocorreu no Ministério do Desenvolvimento Regional.

Leo de Brito foi o autor do requerimento que levou Rogério Marinha a dar explicações na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara, na última terça-feira (06). Durante a audiência, de acordo com o deputado, Rogério Marinho tentou minimizar a importância do encontro com os empresários e Jair Renan. Segundo ele, na audiência a empresa apenas apresentou uma inovação tecnológica para área da habitação. Rogério Marinho disse que somente durante a audiência ficou sabendo que o jovem que estava com os empresários era filho do presidente Bolsonaro.

Apesar de apresentar o caso como um fato corriqueiro, o ministro revelou que o pedido para a realização da reunião no ministério foi feito por um assessor da Presidência da República.O deputado Leo de Brito disse que as explicações do ministro não convenceram e ainda envolveram a Presidência da República diretamente no escândalo.

“O ministro não convenceu, pelo contrário. A resposta dele jogou mais lenha na fogueira ao afirmar que a reunião, com a empresa e o Jair Renan, foi solicitada por um auxiliar do presidente da República, isso após o filho do presidente ter sido presenteado com um carro elétrico no valor de R$ 90 mil. Esse assunto precisa ser aprofundado pelo Ministério Público Federal. Eu vou apresentar um requerimento de informação para que a Presidência da República esclareça por que fez o pedido de audiência no Ministério do Desenvolvimento Regional”, explicou Leo de Brito.

O Ministério Público Federal (MPF) já instaurou procedimento preliminar para apurar “possíveis crimes de tráfico de influência e lavagem de dinheiro” em relação a esse caso. Denúncias veiculadas pela imprensa no ano passado apontaram que Jair Renan também teria intermediado junto ao governo uma redução no Imposto sobre Produtos industrializados (IPI) para o setor de videogames.

Em agosto do ano passado, o filho mais novo de Bolsonaro participou de reunião com o secretário de Cultura, Mário Frias, para tratar do “futuro dos e-Sports”. No mês de outubro de 2020, o presidente Jair Bolsonaro anunciou a redução do IPI para videogames. No mesmo mês, Jair Renan inaugurou um “escritório de empreendedorismo” localizado no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.