23.3 C
Rio Branco
25 julho, 2021 9:12 am

Longo contesta oposição na Aleac ao mostrar benefícios das obras do governo em escolas rurais

POR ASCOM

O deputado e líder do Governo na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), Pedro Longo, conseguiu esclarecer as críticas da oposição ao mostrar as obras dos portais que estão sendo realizados em 18 escolas rurais de Rio Branco, Bujari, Acrelândia e Senador Guiomard, no interior do Acre.

Nesta última terça-feira (6), o deputado Daniel Zen (PT) insinuou que a Secretaria de Estado de Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra) havia gasto mais de R$ 200 mil para construir uma parada de ônibus em uma escola que sequer tinha linha regular.

Longo usou seu tempo no grande expediente para mostrar fotos das obras e explicar que aquilo que Zen havia chamado de “parada de ônibus” era na verdade um portal para recepção dos alunos, composto por pavimentação de tijolos de mais de cem metros, com base e sub-base, calçadas em ambos os lados, sistema de esgotamento de água e ainda abrigos para dias de chuva ou sol forte.

“Os investimentos foram determinados pelo governador Gladson Cameli para levar dignidade aos alunos, professores e funcionários das escolas rurais, diminuindo poeira e lama na chegada e saída dos alunos, no sentido de melhorar também o acesso aos ônibus escolares, além de segurança com as lombadas nos dois sentidos”, explicou.

Outro ponto destacado pelo deputado é que as obras geraram mais de 120 empregos nas comunidades rurais, além de injetar recursos nas olarias em um período de dificuldade econômica, em razão da pandemia.

“Os custos, que são inferiores aos destacados pelo deputado Daniel Zen, variam de acordo com a necessidade de intervenção em cada uma das escolas. As bases são diferentes e demandam trabalhos específicos. A iniciativa do Governo é muito importante, tendo em vista que as unidades educacionais da zona rural são raramente colocadas como prioridade”, continuou.

“Respeito os meus colegas de oposição quando questionam o orçamento, mas reitero que precisamos atender as necessidades da nossa população, até mesmo a que vive distante dos centros urbanos”, finalizou.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.