30.3 C
Rio Branco
2 agosto 2021 5:33 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

MDB pode alçar voo solo em 2022 caso Gladson não cumpra acordos com o partido

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Voo solo

Ainda ontem, durante a polêmica envolvendo o MDB e o governo Gladson, o presidente do partido no Acre, deputado federal Flaviano Melo, disse que o MDB continua na base do governador, porém, não garantiu uma aliança para as próximas eleições. “O Acre tem um governador e nós queremos ajudar. Sobre as próximas eleições, o MDB tem bons nomes que podem representar muito bem em pleitos majoritários. Uma coisa não anula a outra”, disse Flaviano, dando a entender que os mdbistas podem optar por voo solo em 2022.

Barganha

A permanência dos mdbistas na base de Gladson está, pelo menos por enquanto, garantida. Porém, se o governador quiser o MDB junto com ele nas eleições do ano que vem, terá que ceder. Esse vai e vem da sigla para a base do governador, e agora, essa possível candidatura majoritária, tem cara de barganha política. O MDB quer mais espaços no governo. Resta a Gladson fazer as contas para ver se vale a pena.

Opção

Caso o MDB opte por, de fato, lançar candidatura majoritária ao Governo do Estado, o nome em maior evidência do partido é o do vereador Emerson Jarude. Apesar da sigla ter nomes no senado, na Câmara Federal e na Aleac, é o vereador da Capital quem mais chama atenção. O mandato de Jarude, desde a legislatura passada, vem se destacando, mas foi nessa legislatura que o vereador “decolou”. Muito por conta dos deslizes do governo Bocalom, que fez do vereador um nome ainda mais forte, por ser um dos principais críticos da gestão municipal.

Aéreas

Em uma reunião com o Ministério do Turismo e a Embratur, a secretária Eliane Sinhasique partiu para o ataque contra as empresas aéreas e os preços absurdos cobrados por essas companhias para voar para o Acre. “O Governo do Acre reduziu o ICMS dos combustíveis da aviação para apenas 3%, e mesmo assim não vimos contrapartidas das empresas. Nós precisamos sentar com as essas empresas e perguntar o que está acontecendo”, ponderou a secretária, solicitando que os órgãos nacionais intermedeiem a cobrança, já que, segundo ela, as cobranças anteriores não surtiram efeito.

Canetada

Depois da derrubada do veto do governador – que tratava da contratação de médicos formados no exterior sem o Revalida – ontem na Aleac, hoje o governador disse que irá sancionar o projeto assim que chegar em suas mãos. “Precisamos de mais profissionais e entendo que a derrubada do veto é importante”, ponderou.

Pedido de desculpas

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), pediu desculpas a população do município por ter apoiado o governador Gladson Cameli (Progressistas) nas últimas eleições. O pedido se deu por conta da briga entre o prefeito e o governador com relação aos veículos pesados que estão no município e o Estado solicitou a devolução. O prefeito chegou a entrar com um recurso contra o Governo do Estado, em que pede a permanência das máquinas pesadas de manutenção dos ramais no município, porém, o pedido foi negado pelo TJAC na data de hoje. Inconformado, Mazinho disparou: “esse ditadorzinho que elegemos não tem noção do que está fazendo, levando o que ele não deu. Já pedi desculpas à população por ter apoiado esse homem”.

Confiante

O deputado estadual e líder do governo na Aleac, Pedro Longo (PV), está confiante na reeleição do governador Gladson Cameli (Progressistas). O otimismo do deputado é tanto que, para ele, Gladson será eleito no primeiro turno em 2022. Será?

3J

Mais um protesto contra o presidente Jair Bolsonaro está marcado, trata-se do 3J, que deve ocorrer no próximo sábado, dia 3 de julho, em todo o país. Dessa vez, a manifestação que pede o impeachment de Bolsonaro vem fortificada pelo “superpedido de impeachment”, protocolado ontem na Câmara Federal por 45 signatários, e reunindo os argumentos apresentados nos 123 pedidos de impeachment apresentados até agora à Câmara. Em Rio Branco o ato está marcado para começar às 16h, em frente ao Palácio Rio Branco.

CPF

O prefeito da Capital, Tião Bocalom (Progressistas), já repetiu algumas vezes que não quer seu CPF sujo, uma alusão as dívidas feitas e não pagas por pessoas físicas, que acabam tendo restrições de crédito por constarem em listas de mau pagadores dos órgãos de proteção ao crédito. O vereador Fábio Araújo (PDT) entendeu que o receio pode guardar outras preocupações. “Para bom entendedor meia palavra basta. Está claro que tem alguma coisa errada nas secretarias e o prefeito está preocupado com o CPF, então tem algo errado”, disparou.

Continua fechado

Ontem, o vice-governador, Major Rocha, fechou seu gabinete e acusou o governador de perseguição política. A justificativa de Rocha é que por falta de pessoal, ele não teria condições de manter o gabinete funcionando. Por conta disso, o vice pedia que as exonerações dos ex-funcionários do seu gabinete fossem anuladas na Justiça, mas o pedido foi indeferido pelo desembargador Francisco Djamlma, do TJAC. Agora, o pedido segue para o pleno do TJ para para julgamento do deferimento de mérito. Até lá, o gabinete deve continuar fechado.

 

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.