27.3 C
Rio Branco
22 julho, 2021 11:36 am

No AC, gêmeas são batizadas como Maiara e Maraisa e família com 9 filhos precisa de ajuda

As caçulas nasceram prematuras e têm apenas 23 dias de vida

POR NANY DAMASCENO, DO CONTILNET

A  dona de casa Raimunda Raulino, de 33 anos, junto com o marido, Sebastião Gomes,  de 39 anos, são dois entre os 61 mil acreanos que estão desempregados.

Quando já tinha 7 filhos para criar, com idades entre 16 anos e um bebê de menos de 1 ano, o casal foi surpreendido com uma gravidez gemelar. As caçulas nasceram prematuras e têm apenas 23 dias de vida e foram batizadas com o nome das cantoras sertanejas, que também são gêmeas, Maiara e Maraisa.

“Quando eu descobri que eram duas meninas, passei dois dias e duas noites junto com a minha vizinha tentando achar um nome para elas e não achava nenhum que gostasse, e aí minha filha, Marta, de 11 anos me disse: ‘Mãe, não precisa mais procurar o nome delas, já sei como vão se chamar’ e me falou Maiara e Maraisa, na hora gostei e ficou assim, nome de famosas”, explica Raimunda.

Apesar do nome glamouroso, as pequenas moram de aluguel junto com os outros 7 irmãos e os pais em uma casa alugada. O pai está desempregado e vive de bicos junto com o filho mais velho, Natanael, de 16 anos. Raimunda, por ter dado à luz prematuramente, ficou 20 dias internada até receber alta. Além disso, uma das filhas, de 14 anos, vive acamada. Justamente por essa condição que enfrentam, a família precisa de ajuda.

Raimunda com 3 de seus 9 filhos/Foto: arquivo pessoal

“Preciso de fralda descartável e o leite Nan que as duas estão tomando e alimento é o que mais precisamos no momento. Agradeço a Deus pela vida dos meus filhos e a ajuda que tenho recebido”, diz Raimunda.

Além dos alimentos, a família também precisa de ajuda com produtos de higiene pessoal e limpeza. Ajuda financeira, para auxiliar no pagamento do aluguel também é bem vinda. A família que vive em uma casa pequena e de madeira na periferia de Rio Branco, também precisa de um fogão e uma geladeira, eletrodomésticos caros que é quase impossível serem comprados por eles, que vivem de bicos.

“Eu estou necessitando muito mesmo, mas se eu comprar, fico sem comer e pagar o aluguel. Eu peço a quem puder me dar essa ajuda com um fogão usado”, pediu.

Para quem quiser ajudar a família de dona Raimunda, pode entrar em contato com ela pelo telefone (68) 9204-0689. Quem quiser fazer um depósito direto na conta da família.

Caixa Econômica Federal
Agência: 0534
Operação: 013
Conta: 143672-0

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.