26.3 C
Rio Branco
30 julho 2021 2:08 pm

Objetos voando, socos e spray de pimenta: Galo e Boca brigam após jogo

Usando as grandes de proteção, bebedouros e garrafas d'água, jogadores e membros dos dois times entraram em confronto após jogo da Liberta

POR METRÓPOLES

Após o jogo da Libertadores que decretou a classificação do Atlético-MG e a eliminação do Boca Juniors nesta terça-feira (20/7), houve muita confusão entre integrantes das equipes.

Usando as grandes de proteção, bebedouros e garrafas d’água, jogadores e membros dos dois times causaram tumulto nos vestiários do Mineirão.

A briga teria sido iniciada pelos argentinos e só foi encerrada depois que a Polícia Militar entrou em ação, apelando para o spray de pimenta. Veja vídeos:

O principal motivo da irritação dos integrantes do Boca Juniors seria a arbitragem da partida que teve gol anulado da equipe Azul y Oro. O atacante Sebastian Villa foi identificado jogando um bebedouro e os zagueiros Marcos Rojo e Carlos Izquierdo deram socos em segurança que tentava separar a briga.

A assessoria do Atlético informou que ninguém do clube ficou ferido e, segundo eles, os argentinos estavam irritados com as decisões da arbitragem, mas depois os alvos foram os seguranças e membros do time mineiro.

“O pessoal do Boca foi quebrando tudo pelo caminho em direção ao vestiário da arbitragem. O nosso fica no caminho. Aí houve mais confusão. Mas eles saíram arrastando seguranças, grades, bebedor, tudo a partir da zona mista”, contou a comunicação do Galo.

A Conmebol cancelou a coletiva de imprensa do Boca e, de acordo com o Globoesporte.com, aguarda o relatório do delegado da partida sobre o ocorrido para tomar uma providência. A Polícia Militar ainda não se pronunciou e, segundo o jornalista Francisco De Laurentiis da ESPN, viaturas e agentes não estavam permitindo a saída da deleção argentina do Mineirão.

O segundo vice-presidente e ex-jogador do Boca Juniors, Juan Román Riquelme, deu declaração ao jornal argentino TyC Sports: “O que está acontecendo é lamentável. É vergonhoso. Podemos jogar o dia todo que, se assinalarem nossos gols, não vamos passar. Não dois deixaram avançar, essa é a verdade. E agora querem prender algum jogador.”

Após alguns minutos de conversa entre o Consulado da Argentina e a polícia, o ônibus do time argentino deixou o estádio, segundo informações do jornalista da ESPN.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.