20.3 C
Rio Branco
29 julho 2021 10:32 am

Vacinado e com sintomas de covid? Saiba o que fazer

Caso da apresentadora Ana Maria Braga, que já tomou as duas doses e pegou a doença, ganhou destaque na segunda-feira

POR R7

Com mais de 100 milhões de brasileiros vacinados conta a covid-19 com pelo menos uma dose e o coronavírus circulando intensamente no país, começam a aparecer — como já era esperado — casos de pessoas imunizadas que desenvolveram a doença.

Na segunda-feira (5), a apresentadora Ana Maria Braga, de 72 anos, confirmou estar com covid-19, mesmo após completar o esquema vacinal. Ela relatou sintomas leves, como perda do olfato e um leve mal-estar.

A médica infectologista Lina Paola Rodrigues, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, conta que isso também aconteceu com ela e ressalta a importância do teste de covid-19 e do isolamento em caso de resultado que confirme a doença.

“A pessoa vai falar: ‘poxa, não vou me livrar de ter que fazer um teste covid?’ Não vai, infelizmente, não. Não estamos na época ainda para se livrar de ter que se isolar, se tiver sintomas respiratórios, coletar um teste RT-PCR. E se for positivo, ficar isolado por 10 dias e seguir as recomendações.”

Nesta época de inverno em boa parte do país, é comum que outros vírus que causam resfriado ou gripe circulem com mais frequência. Os sintomas, acrescenta a médica, podem ser confundidos com covid-19, daí a necessidade de realizar o exame.

Uma pessoa vacinada que venha a desenvolver covid-19 leve, por exemplo, e continue a fazer suas atividades normais pode transmitir o vírus para indivíduos que ainda não foram vacinados ou a uma parcela da população que é imunocomprometida, como transplantados ou pacientes em tratamento de câncer.

“A gente não atingiu mais de 70% da população vacinada. Se ficarmos doentes, mesmo que completamente vacinados, transmitimos o vírus para uma parcela da população que ainda não está vacinada. Não sabemos entre esses não vacinados quem vai evoluir para um quadro grave da doença”, destaca Lina.

Ela conta que em países onde a vacinação já está mais adiantada, é uma realidade que pessoas que já completaram a imunização eventualmente tenham covid-19, e que isso deve se tornar mais frequente aqui no Brasil também, tendo em vista que a circulação do coronavírus ainda está em nível elevado.

O que precisa se verificar são os números de hospitalizações e mortes, e um boletim da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) divulgado na semana passada mostra exatamente uma queda nesses indicadores, que a instituição atribui justamente ao avanço da vacinação no país.

Lina Paola alerta ainda que quem pegar covid-19 antes da segunda dose deve completar o esquema vacinal após a cura.

“Eu tomo a vacina hoje, vou demorar, em média, de 15 a 21 dias para formar a minha primeira resposta imunológica. Essa primeira resposta, vai me proteger de 50% a 74% para casos graves ou morte. Muito provavelmente, se eu tiver covid nessa janela de três meses entre uma dose e a outra, vou ter uma covid leve. Mas eu não estou completamente vacinada. Para eu atingir a máxima capacidade dessa vacina me proteger para morte e quadro grave, preciso de duas doses. Só com a imunidade natural [da doença], na melhor das hipóteses, vou ficar 90 dias protegida. E o restante?”

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.