26.3 C
Rio Branco
28 setembro 2021 12:11 am

Vôlei brasileiro estreia nesta sexta em busca de medalhas

Alison e Álvaro, Ágatha e Duda e time masculino jogam a partir das 22h

POR AGÊNCIA BRASIL

Última atualização em 23/07/2021 08:35

O vôlei será um dos grandes destaques da participação brasileira nesta sexta-feira (23) na Olimpíada, o primeiro dia de disputas após a cerimônia de abertura.

E três equipes da modalidade estarão em quadra. A dupla formada por Alison e Álvaro Filho será a primeira, às 22h (horário de Brasília).

Às 23h será a vez de Ágatha e Duda. Cinco minutos depois, o time comandado pelo técnico Renan Dal Zotto dá largada em busca de mais um ouro.A dupla masculina no vôlei de praia estreia contra os argentinos Julián Azaad e Nicolas Capogrosso. Campeão nos Jogos de 2016 (Rio de Janeiro), Alison sabe o peso da estreia.

“Estamos nos preparando para esse jogo como se fosse uma primeira decisão aqui em Tóquio. Esse é o espírito do nosso time. O nível do torneio é muito alto, estamos muito concentrados, focados, temos uma chave duríssima, e não há time fácil ou tradição que vença jogos. Respeitamos todos os adversários e vamos fortes em busca das vitórias, pensando sempre em um passo de cada vez”, afirmou Alison ao Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Estreante, Álvaro Filho destaca o respeito aos adversários: “Temos estudado bastante o jogo deles, assistindo muitos vídeos. É um time alto, que saca e bloqueia bem também, uma dupla que tem bastante recurso”.

A dupla feminina também terá pela frente um time argentino, formado por Ana Gallay e Fernanda Pereyra. Para Duda, estrear nos Jogos é realizar o maior sonho da vida:

“Estou muito feliz. É um momento muito especial para mim, ainda mais depois de tudo que aconteceu em razão da pandemia. Conseguir chegar aqui e realizar o meu sonho. É incrível”.

Estreia da seleção masculina

Também nesta sexta, a seleção masculina de vôlei de quadra enfrenta a Tunísia a partir das 23h05. A equipe de Renan Dal Zotto chega a Tóquio após a conquista do primeiro lugar na Liga das Nações.

“Esse foi um título muito importante. Acima de tudo, é algo que dá uma motivação a mais para todos nós. Sempre ficou muito claro que essa competição fazia parte de um processo de crescimento para a Olimpíada, e a seleção cresceu dentro da própria competição. Isso é muito bom porque nos mostra a capacidade que esses garotos têm”, declarou o treinador.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.