27.3 C
Rio Branco
14 setembro 2021 8:36 am

Após parto prematuro do filho e luta pela vida da esposa, Alan Rick comemora Dia dos Pais: “Vivenciamos um milagre”

"Deus usou todas as pessoas, médicos e as circunstâncias para que os dois pudessem estar juntos comigo nesse Dia dos Pais"

POR NANY DAMASCENO, DO CONTILNET

Última atualização em 08/08/2021 08:31

O Dia dos Pais, celebrado neste domingo (8) terá um sabor especial para o deputado acreano Alan Rick (DEM): o da vitória. Comemorando ao lado do primeiro filho, Pedro Miranda, que nasceu prematuro em um parto de emergência no dia 10 de março, após a esposa do deputado, Michele de Araújo Miranda, contrair Covid-19 e ter seu quadro se agravado por uma pneumonia.

Michele estava com 8 meses de gestação e saiu da sala de parto direto para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) onde foi intubada e deu início ao seu tratamento. Até então, por conta da gravidez, ela não podia ser medicada. O deputado também teve Covid, mas não desenvolveu a forma grave da doença. Pedro, também teve complicações ao nascer e precisou ficar na UTI neonatal.

Esposa do deputado Alan Rick é transferida para Brasília após complicações da Covid | Folha do Acre
Michele e Alana Rick sonharam com a chegada de Pedro 10 anos antes de ele ser concebido; na foto, Michele grávida e Alan Rick já previa que seria mesmo o ‘Pai do Ano’/Foto: arquivo pessoal

A vida do primogênito do casal Miranda foi um milagre desde o início, segundo Alan Rick, assim que casou com Michele eles já planejavam ter um filho nos primeiros anos da união, mas descobriram que Michele tinha dificuldade pra engravidar. “A partir daí ela começou um tratamento. Se passaram 10 anos e nada. No final de 2019 recebemos uma profecia, através de uma pastora que orou conosco e disse que em breve Deus nos daria um filho. E no ano seguinte Michele engravidou”, disse.

“Pra quem crê em Milagres, eis aí o motivo porque eu sempre acreditei que Deus nos daria livramento em meio a tribulação que passamos”

Pedro poucos dias após nascer, ainda hospitalizado/Foto: arquivo pessoal

Após o parto, Michele apresentou melhora e ela chegou a ser retirada da intubação na manhã do dia 11, mas, na tarde do mesmo dia, foi intubada novamente após piora na oxigenação, ela chegou a ter comprometimento em 80% dos pulmões. Seu quadro se agravava e ela precisou ser transferida de Rio Branco para Brasília para ter mais chances de se recuperar. Pedro permanecia na UTI, Michele se quer teve a chance de ver o filho que tanto quis ter.

Ver o filho tão desejado, sonhado e planejado em uma UTI e a esposa intubada lutando pela vida e vendo o seu quadro piorar a cada hora seria motivo para muitos questionarem a fé, mas o deputado conta que a família que se dedicou e os bons profissionais que acompanhavam Michele e Pedro, fizeram com que ele lutasse pela vida de sua família. “Quando o Dr. Thor me disse que o quadro da Michele era muito grave e que ela precisava ser transferida, pensei no bebê que também precisava de mim. Mas nossa família se juntou pra cuidar do Pedro pra que eu pudesse estar com a Michele e tentar salvar a vida dela. Sou muito grato aos médicos e profissionais de saúde em Rio Branco e em Brasília que fizeram o seu melhor para que ela pudesse se recuperar totalmente. Mas sempre vejo a mão de Deus nisso tudo e agradeço todos os dias por esse milagre”, diz.

Michele no primeiro encontro com o filho, Pedro, 20 dias após um parto prematuro/Foto: arquivo pessoal

Ainda nesse tempo o sogro de Alan Rick,  José Océlio de Araújo, de 65 anos, faleceu, vítima da mesma doença que acometia a sua filha, esposa do deputado. Ao todo, foram 17 dias internada, somente 20 dias após o parto ela viu Pedro pela primeira vez, quando ele também teve alta hospitalar. O momento foi registrado pelo deputado em um vídeo emocionante.


Alan conta que foi a oração que permitiu a recuperação da esposa e do filho.

“Michele quase morreu em decorrência de tantas complicações e nós sofremos e lutamos juntos. Tudo aconteceu muito rápido. De repente ela estava com Covid, que evoluiu pra uma pneumonia, tivemos que optar por um parto de emergência, com Pedro prematuro. Michele ainda foi acometida de infecção hospitalar aqui em Rio Branco, recém operada. Teve que ser transferida às pressas num voo de 6 horas com o oxigênio dela vazando. Chegou em Brasília quase morta. Mas as orações por ela e pelo Pedro moveram os céus”, diz.

Pedro agora está com quase cinco meses e Alan diz que o Dia dos Pais tem um significado indescritível.

“Vivenciamos um milagre. Me emociono toda vez que relembro o que passamos. Deus usou todas as pessoas, médicos e as circunstâncias para que os dois pudessem estar juntos comigo nesse Dia dos Pais. Sou muito grato a Deus e a todos que ajudaram e oraram”, conta, emocionado.

Alan, Michele e o pequeno Pedro, quando a família enfim se reuniu após vencer as tribulações/Foto: arquivo pessoal

Após tudo o que passaram, Alan Rick diz que enfim está vivendo a paternidade que tanto sonhou. “Tem sido um tempo de muitas alegrias e uma felicidade que eu jamais tinha sentido. Ver a Michele totalmente curada e sendo uma mãe maravilhosa me enche de satisfação. Mas ver o Pedro com saúde, crescendo, sorrindo, mamando e brincando é o maior presente que eu poderia ter. Ele é muito bonzinho, comportado, amoroso. É um amor que extrapola qualquer explicação”, finaliza.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.