34.3 C
Rio Branco
18 setembro 2021 7:36 pm

Concurso INSS: vale a pena se preparar para o edital? Confira!

Com pedido para 7.575 vagas, o concurso INSS aguarda aval do Ministério da Economia, mas vale a pena se preparar para esse edital? Confira!

POR FOLHA DIRIGIDA

Última atualização em 10/08/2021 10:55

concurso INSS aguarda aval do Ministério da Economia para o preenchimento de 7.575 vagas. Mas será que vale a pena se preparar para um edital ainda não autorizado?

Pensando nisso, Folha Dirigida traz abaixo seis motivos que fazem da seleção do Instituto Nacional do Seguro Social ser uma das mais aguardadas em todo país. Confira!

1. Possibilidade de autorização

O primeiro motivo para se preparar para o concurso do INSS é a possibilidade de autorização, por parte do Ministério da Economia.

Além do grave déficit e previsão de saída de 22% de servidores até 2026, o presidente do Instituto Nacional de Seguro Social, Leonardo Rolim, já disse que a seleção deve ocorrer antes das Eleições do ano que vem.

Como a votação do 1º turno está prevista para o dia 2 de outubro de 2022, o aval do Ministério da Economia precisa ser dado, no mínimo, seis meses antes, ou seja, até abril do ano que vem.

2. Oferta de vagas

O segundo motivo é a oferta de vagas. Ao todo, o INSS solicita 7.575 vagas em todo o país, sendo elas para os seguintes cargos:

técnico do seguro social

  • áreas: Análise Reconhecimento de Direito RGPS (2.938 vagas), Combate à Fraude (734), Serviço de Apoio ao Reconhecimento de Direito (216), Serviço de Atendimento de Demandas Judiciais (40), Serviço de Cobrança Administrativa (34), Análise Reconhecimento de Direito RPPS (46) e Recomposição do Quadro de Aposentados até 2023 (1.996).

analista do seguro social

  • áreas: Serviço Social (463 vagas), Reabilitação Profissional (702) e Recomposição do Quadro de Aposentados até 2023 (406).

3. Níveis médio e superior

Outro destaque é o requisito. Caso a seleção seja autorização, candidatos que tenham o nível médio ou superior poderão concorrer.

Isso porque para concorrer ao cargo de técnico, será preciso comprovar o nível médio completo. Já o posto de analista terá o nível superior, na área de interesse, como requisito.

4. Vagas em todo país

O concurso INSS também costuma se destacar pela distribuição das vagas em todo país. Com pedido para mais de 7 mil oportunidades, se autorizada, a seleção deverá contemplar boa parte dos estados brasileiros.

As oportunidades são distribuídas pelas agências da Previdência Social, nas superintendências regionais ou mesmo na sede do INSS, em Brasília. Em 2015, por exemplo, foram oferecidas vagas em todos os estados.

5. Salários e benefícios

Conforme o documento enviado à Economia, caso o concurso seja autorizado, os aprovados terão ganhos iniciais de R$5.447,78 (técnico) e de R$8.357,07 (analista), para jornada de 40 horas.

Esses valores são compostos pelo vencimento básico, a Gratificação de Atividade Executiva (GAE) e a Gratificação de Desempenho de Atividades do Seguro Social (GDASS).

Os servidores ainda têm direito ao auxílio-alimentação, no valor de R$458, e outros benefícios como assistência à saúde, auxílio-creche e gratificação natalina, por exemplo.

6. Disciplinas previstas

A boa notícia para quem deseja se preparar para o novo concurso INSS é que o pedido de autorização já conta com as disciplinas que devem ser cobradas nas provas.

Desta forma, os interessados podem iniciar os estudos com antecedência. Quem deseja ingressar como técnico ou analista do seguro social deve estudar para as seguintes disciplinas:

  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico;
  • Informática;
  • Noções do Regime Jurídico Único;
  • Código de Ética do Servidor Público;
  • Direito Constitucional;
  • Direito Administrativo; e
  • Sistema de Seguridade Social.

No caso do analista, no entanto, os exames ainda devem contar com perguntas de conhecimentos específicos, de acordo com a especialidade oferecida no edital.

Concurso INSS deve ser autorizado até abril de 2022

concurso INSS deve ser autorizado até abril de 2022. Isso porque, segundo o presidente do Instituto Nacional de Seguro Social, Leonardo Rolim, a seleção deve ocorrer antes das Eleições do ano que vem.

Como a votação do 1º turno está prevista para o dia 2 de outubro de 2022, o aval do Ministério da Economia precisa ser dado, no mínimo, seis meses antes, ou seja, até abril do ano que vem.

Além disso, para que ocorra antes das Eleições 2022, o edital precisa ser divulgado até o dia 1º de outubro de 2022, considerando que a votação está marcada para o dia 2 do mesmo mês.

Caso o edital seja publicado em outubro, em sua data limite, as provas poderão ocorrer até fevereiro de 2023 (quatro meses), como prevê o Decreto 9.739/19.

Há ainda a possibilidade de os exames acontecerem em dezembro do ano que vem, se for solicitado o adiantamento de dois meses entre a publicação do documento e as avaliações – situação que aconteceu recentemente nos concursos da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

O intervalo de dias entre a autorização do concurso INSS de 2015 e a publicação do edital, por exemplo, confirmam essas previsões.

Na época, o aval foi concedido em 29 de junho e o edital publicado em 22 de dezembro, exatamente seis meses entre um evento e outro. Já as provas ocorreram quatro meses após o edital, em maio de 2016.

Em entrevista à CBN, no dia 1º de junho, Rolim destacou a urgência para a realização do concurso público, com vagas efetivas.

“Vamos precisar, sim, fazer o concurso para substituir temporários e servidores que estão se aposentando. Estamos bem otimistas que teremos a autorização”, disse.

Confira detalhes do último edital de 2015

Em 2015, foi realizado o último concurso para técnicos e analistas do INSS. Ao todo, foram oferecidas 950 vagas, sendo o número já considerado inexpressivo diante do déficit de servidores da época

Os candidatos ao cargo de técnico foram submetidos a uma prova objetiva, com 120 questões sobre:

  • Ética no Serviço Público;
  • Regime Jurídico Único;
  • Noções de Direito Constitucional;
  • Noções de Direito Administrativo;
  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico;
  • Noções de Informática; e
  • Conhecimentos Específicos.

Já os analistas tiveram disciplinas de Português, Raciocínio Lógico, Noções de Informática, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Legislação Previdenciária, Legislação da Assistência Social, Saúde do Trabalhador e da Pessoa com Deficiência.

Apesar das mudanças nas disciplinas, previstas no pedido, é indicado que os interessados estudem também com base no conteúdo cobrado no último edital.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.