35.3 C
Rio Branco
19 setembro 2021 6:12 pm

Deputado Alan Rick destaca a construção do terceiro linhão entre Acre e Rondônia e nova subestação de energia em Rio Branco

POR ASCOM

Última atualização em 25/08/2021 10:01

O deputado federal Alan Rick (DEM), juntamente com o governador Gladson Cameli (Progressistas), recebeu na última segunda-feira, 23, os representantes da EDP Energias do Brasil, Eduardo Santarelli, Gestor Executivo de Meio Ambiente e Luiz Carlos Piassi, Assessor da Presidência. Na oportunidade foi anunciada a execução da terceira linha de transmissão do Linhão entre o Acre e Rondônia, garantindo, dessa forma, a definitiva segurança energética para o Estado.

A obra faz parte do lote 01, leiloado este ano pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e prevê um investimento de R$ 480 milhões com a geração de 1.500 postos de empregos diretos.

Segundo os executivos, o Linhão terá 300 km, que vai se estender entre Rio Branco e a Ponta do Abunã, em Rondônia.

O deputado federal Alan Rick (DEM), juntamente com o governador Gladson Cameli (Progressistas), recebeu na última segunda-feira, 23, os representantes da EDP Energias do Brasil, Eduardo Santarelli, Gestor Executivo de Meio Ambiente e Luiz Carlos Piassi, Assessor da Presidência. Foto: Assessoria

“Esse investimento será um dos maiores do Estado e nos proporcionará uma energia com mais qualidade e redundância para evitar apagões. Ou seja, se houver algum problema no Linhão, teremos a garantia da terceira linha que vai evitar um colapso no abastecimento no Acre”, disse Alan Rick.

Além disso, será construída a nova subestação de energia no Conjunto Tucumã. A obra será erguida em uma área de 12 hectares.

“A Segurança Energética atrairá investimentos no estado uma vez que a garantia da geração, transmissão e uso de energia com qualidade é a primeira exigência de qualquer grande investimento. Fico feliz e honrado em participar dessa construção histórica para o povo do Acre”, falou o deputado ao destacar ainda a geração de 1.500 empregos por meio do empreendimento.

Por fim, Eduardo Santarelli destacou que o projeto não afetará unidades de conservação ambiental, terras indígenas ou comunidades quilombolas, o que representa quase nenhum impacto ambiental. A empresa, segundo ele, iniciou o processo de licenciamento ambiental e prevê para maio de 2022 o início dos serviços. O cronograma prevê 18 meses para a entrega.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.