24.3 C
Rio Branco
23 setembro 2021 10:33 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Em luta pela vida, bebês prematuros fazem ensaio fotográfico com temática das Olimpíadas

Todos os bebês são recordistas e medalhistas de ouro em 'minhas primeiras Olimpíadas'

POR G1 AM

Seis bebês prematuros, internados em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIn), participaram de um ensaio fotográfico com temática das Olimpíadas, na Maternidade Dona Nazira Daou, em Manaus. A ação foi uma forma de celebrar a vitória diária dos recém-nascidos. A iniciativa da direção foi abraçada pelos servidores e mães como uma forma de esperança para que eles recebam alta como vencedores.

No ensaio que recebeu o nome de “Minhas primeiras Olimpíadas”, os bebês receberam placas de identificação com um tipo de “modalidade olímpica” como: salto no colinho; mamada rítmica; escalada no canguru; levantamento de copinho; maratona pela vida; surf no oxímetro e mergulho no oxigênio, já sendo campeões de cada uma delas. Veja fotos abaixo:

Bebês receberam placas de identificação com um tipo de “modalidade olímpica”  — Foto: Divulgação/SES-AM

Bebês receberam placas de identificação com um tipo de “modalidade olímpica” — Foto: Divulgação/SES-AM

Bebês receberam placas de identificação com um tipo de “modalidade olímpica”  — Foto: Divulgação/SES-AM

Bebês receberam placas de identificação com um tipo de “modalidade olímpica” — Foto: Divulgação/SES-AM

Para a diretora da maternidade, Adriana Duarte, a ideia surgiu como uma forma de humanização, durante esse período de permanência prolongada dos recém-nascidos na unidade. Sendo uma maneira de incentivo às mães e aos trabalhadores para auxiliarem esses bebês a conquistar a maior vitória, que é a alta.

“É uma forma de engajar a equipe de cuidado, porque eles são vencedores, eles são guerreiros, sobretudo as crianças da UTI e UCI, eles têm um período de tratamento um tanto quanto longo. Então, é uma forma de dar medalha de ouro, a tão sonhada vitória, que é relacionada à alta quando eles saem da unidade”, explicou a diretora Adriana.

Bebês receberam placas de identificação com um tipo de “modalidade olímpica”  — Foto: Divulgação/SES-AM

Bebês receberam placas de identificação com um tipo de “modalidade olímpica” — Foto: Divulgação/SES-AM

A coordenadora da UTin, enfermeira Renata Monteiro, contou que mães se sentem amparadas com atividades como essas, tendo ainda mais esperança na recuperação de seus filhos.

“Eu observo que essas mães se sentem amparadas. É uma forma de elas sentirem esperança com a recuperação dos bebês delas, que estão em um ambiente de UTI, que é um ambiente pesado. Essa iniciativa ela vem para trazer um acalanto para essas mães. É um sentimento de emoção e gratidão por fazer parte deste projeto com essas mães e bebês”, disse.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.