35.3 C
Rio Branco
27 setembro 2021 3:08 pm

Estiagem no AC: tempo seco aumenta queimadas, problemas respiratórios e até cardíacos

Segundo a Defesa Civil, o fumaceiro vem boa parte da queima de lixo e entulhos pela população urbana e outra parte vem de queimadas rurais tanto no Acre quanto em países e estados vizinhos

POR NANY DAMASCENO, DO CONTILNET

Última atualização em 22/08/2021 10:31

Pele, olhos, nariz e gargantas secos, indisposição, incêndios. Os baixos índices da umidade relativa do ar, provocados por massas de ar quentes e secas, pode causar, além dos desconfortos citados, danos sérios à saúde.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a umidade do ar ideal compreende a faixa entre 50 e 80%, mas neste período de estiagem que enfrentamos ao longo de agosto e poderão ser sentidas até setembro, a umidade chega a ficar abaixo dos 20% no Acre.

Essa situação potencializa as alergias, sinusites, asmas e traz ainda maior probabilidade de ocorrência de problemas cardíacos e até aumento da incidência de acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Para prevenir os desconfortos é importante seguir algumas dicas:

– Hidrate-se. Beba água mesmo se estiver sem sede;
– Umedeça olhos e nariz com frequência;
– Evite exercícios físicos ao ar livre das 10h às 16h;
– Evite ar condicionado das 10h às 16h;
– Mantenha o ambiente arejado;
– Mantenha os ambientes umidificados (Ex.: estenda toalhas ou panos úmidos nos pés da cama/cabeceira ou uma bacia com água no quarto)

Vale ressaltar que a baixa umidade do ar deixa o ambiente propício para a propagação de focos de incêndio, elevando as queimadas e, consequentemente, a fumaça.

Ao longo destas últimas duas semanas tornou-se comum para os acreanos acordarem com as cidades encobertas por fumaças.

Fotógrafo Juan Diaz registrou a fumaça no céu de Rio Branco em um amanhecer

O médico infectologista Jenilson Leite alerta que é preciso estarmos atentos também que estamos em um período delicado, já que além do período de seca e queimadas, temos um fatos ainda mais agravante: a Covid-19.

“A gente tem algumas preocupações, estamos vivendo um verão seco, com poucas chuvas e isso   seca as mucosas, faz pessoas fiquem mais vulneráveis a doenças respiratórias temos ainda as queimadas que deixam no ar diversas partículas que podem chegar aso pulmões e causar inflamações nas vias respiratórias e, apesar da imunização, está circulando ainda o coronavírus, temos um caso suspeito da variante Delta no Acre e fora isso, temos outros vírus sazonais circulando”, lembrou o médico.

Médico Jenilson Leite faz alerta para aumento de doenças respiratórias/Foto: Jardy Lopes

Leite reforçou a importância da prevenção: “é fundamental a população se hidratar bastante e usar a máscara, tanto pela questão relacionada às partículas sólidas das queimadas quanto os vírus”, alertou.

Segundo a Defesa Civil, o fumaceiro vem boa parte da queima de lixo e entulhos pela população urbana e outra parte vem de queimadas rurais tanto no Acre quanto em países e estados vizinhos.

“Pedimos à população que evite queimar lixo, entulhos, etc., uma vez que, pelo fato da vegetação estar muito seca, há o risco de incêndio em alguns locais. Lembrando que queimar é crime e que a prática pode resultar em multa e até em prisão do infrator”, explica o major Claudio Falcão, coordenador da Defesa Civil de Rio Branco.

Aumento de atendimentos em hospital

Na Unidade de Pronto Atendimento (Upa), da Baixada da Sobral, em Rio Branco, os atendimentos de pessoas, especialmente crianças e idosos, com problemas respiratórios cresceu mais de 50% na última semana.

Antes, uma média de 220 pacientes procuravam a unidade para atendimentos referentes a doenças respiratórias, e agora este número saltou para 335 .

 

 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.