29.3 C
Rio Branco
25 setembro 2021 1:15 pm

Homem que esperava esposa internada na porta do hospital desabafa após a morte: ‘difícil’

Jardeci aguardava no gramado do hospital, sentado em cadeira de praia e tomando chimarrão.

POR I7 NEWS, IG

Última atualização em 06/08/2021 10:03

A Covid-19 fez mais de 560 mil vítimas fatais no Brasil desde o começo da pandemia, em março do ano passado.

Mais do que números, são histórias que foram interrompidas em decorrência da doença causada pelo coronavírus. Na quarta-feira (4), morreu Cristiane Fagundes Hahn, de 42 anos.

Ela estava internado no Hospital Metropolitana de Várzea Grande, no Mato Grosso. No período de mais de 20 dias em que ficou internada, o marido Jarcedi Hahn ficou no gramado do hospital, aguardando a esposa receber alta. Todos os dias pela manhã, o homem ia ao hospital.

Sentado em uma cadeira de praia, ela tomava chimarrão. Ao lado dele, ficava a cadeira que pertencia à esposa.

Cristiane deixou o marido e três filhos. Jarcedi está arrasado. A única coisa que o consola é que o velório foi caixão aberto, no Salão Paroquial da cidade de Sapezal, nesta quinta.

Em entrevista ao G1, Jarcedi disse que o fato de velório ser com caixão aberto o confortava.

“Perder quem a gente ama é muito difícil”, desabafou. Ele também afirmou que perdeu a pessoa que mais amou. “A única que tinha ao meu lado”, disse o viúvo.

Mulher ficou internada e chegou a ser extubada, mas não resistiu

Cristiane foi internada no dia 11 de julho e precisou ser intubada. No fim de julho, os médicos retiraram o tubo, mas dias depois ela apresentou piora no quarto e teve que ser intubada novamente.

Quando a morte foi confirmada, os médicos autorizaram Jarcedi a ver o corpo dela pela última vez. A família e amigos estão abalados com a morte de Cristiane, aos 42 anos.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.