35.3 C
Rio Branco
27 setembro 2021 2:20 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Personal trainer preso por feminicídio fala em suicídio da esposa e diz estar arrependido por ter escondido corpo

Suspeito nega ter matado a mulher, mas afirma que mandou a cavar fossa para esconder o cadáver. Crime aconteceu em Sonora, no norte de Mato Grosso do Sul

POR G1

Preso desde quarta-feira (04), por matar a esposa, Laís de Jesus Cruz, de 29 anos, em Sonora, no norte de Mato Grosso do Sul, o personal trainer Pabilo dos Santos Trindade, de 35 anos, disse à polícia que a mulher pode ter cometido suicídio e que está arrependido de ter escondido o corpo dela.

Pabilo nega ter matado a esposa desde o primeiro momento contato com a polícia. No entanto, afirma ter mandado cavar uma fossa séptica na residência do casal e escondido o corpo dela.

À Polícia Civil ele disse que o relacionamento de 3 anos com Laís sempre foi conturbado e que na segunda-feira (02), discutiram mais uma vez. Dessa, o motivo seria que ele queria uma terceira pessoa na relação, mas ela não aceitava.

Na versão do personal trainer à polícia, Laís teria dito que se mataria caso ele se envolvesse com outra pessoa. Ele então teria concordado com a hipótese de suicídio cogitado pela esposa e saído de casa. Ao voltar, encontrou a companheira morta no quarto, com corpo ensanguentado e uma colher de cozinha, tipo concha, ao lado.

Diante disso, contratou uma pessoa para cavar uma fossa de 2 metros de profundidade, enrolou o corpo de Laís em um cobertor e jogou no buraco. Depois, limpou o quarto com água sanitária.

O personal trainer falou ainda à polícia que ele se arrepende também de não ter falado nada sobre a morte da esposa e que não comentou nada porque seria apontado como autor.

Laís e Pabilo: vítima e suspeito de feminicídio em MS — Foto: Redes sociais
Laís e Pabilo: vítima e suspeito de feminicídio em MS — Foto: Redes sociais

Crime

O corpo de Laís só foi encontrado após a mãe dela estranhar o sumiço da filha e acionar a polícia, falando ainda que a jovem relatava violência doméstica.

Na quarta-feira (04), policiais foram até a residência do casal e falaram com Pabilo. No primeiro momento disse que a mulher havia viajado para Curitiba (PR) e que inclusive, no dia anterior, teria entrado em contato com ela por meio de uma ligação de celular.

Em um dos cômodos, um policial notou um forte cheiro de produto de limpeza e algumas manchas. No quinta da residência, outro investigador encontrou pertences e documentos da vítima.

Conforme o delegado, Pabilo ficou nervoso quando um dos policiais encontrou o aparelho celular dela que também estava quebrado.

Um buraco, recém fechado, também chamou a atenção da equipe e foi neste local que foi localizado o corpo. O homem foi então preso.

A perícia apontou que Laís foi morta por enforcamento, com golpe tipo ‘mata-leão‘ e que tinha ferimento na cabeça compatível com uma colher de cozinha, tipo concha.

Ele passou por audiência de custódia quinta-feira (05) e teve a prisão preventiva decretada, com base na garantia da ordem pública, tendo em vista a gravidade do delito; para evitar a reiteração delitiva, eis que ele possui um histórico de violência doméstica; e para assegurar a aplicação da lei penal, vez que ele agiu no intuito de frustrar a descoberta do crime, ocultando o cadáver e se passando pela vítima nas redes sociais.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.