30.1 C
Rio Branco
13 outubro 2021 8:47 pm

A redução nos casos de covid em rondônia e a expectativa do ‘velho normal’

POR ASCOM

Última atualização em 22/09/2021 16:41

A crise mundial foi anunciada pela pandemia que se instalou em 2019, partir de então a vida do Rondoniense mudou e se adaptou ao que estivemos chamando, erradamente, de o “novo normal”.

Surgiram diversas incertezas sobre como seria a vida durante e após a pandemia, inclusive se haveria o pós-pandemia, e o conceito de “novo normal” foi uma forma que muitos encontraram de se conformar com o que estávamos presenciando.

O termo de novo normal foi criado em 2009 e é definido pelo estado ao qual uma economia ou sociedade se instala após uma crise, sendo diferente da situação que prevalecia antes do início da crise.

Mas poucos meses após o início da disseminação do COVID esse termo já foi amplamente utilizado, em muito devido à falta de crença de que esse período teria fim e a improbabilidade de termos vacinas em curto ou médio prazo.

Mudanças que vieram com o novo normal

Apesar de Rondônia ser o 3º estado da região Norte em números totais de casos, com 263 mil casos (atrás de AM e PA), o estado se encontra em 1º lugar no Norte em percentual de mortes com estrondosos 3,65%. Se compararmos esse percentual a todo o Brasil, Rondônia ficaria atrás apenas de RJ e MT.

A situação e os números forçaram os rondonienses, assim como a todos os Brasileiros, a mudar seus hábitos e se resguardar ao máximo. Dentre as mudanças encontradas, podemos destacar:

O home office veio com força durante a pandemia como uma alternativa viável para não parar completamente as atividades de diversas empresas. Embora essa já fosse uma tendência crescente para freelancers e profissionais liberais, muitas empresas não adotariam a solução tão cedo se não fosse pela COVID-19.

Atualmente, as organizações se esforçam em aprimorar seus ambientes digitais e torná-los cada vez mais seguros. A tendência é que após o confinamento uma parte das operações permaneçam em formato remoto.

Relacionamentos digitais já existiam como prática de alguns solteiros, mas a busca pelo namoro online foi potencializada durante este período.

Bares, pubs e casas de entretenimento em geral fecharam as portas, e assim, seus clientes começaram a migrar gradualmente para as plataformas de entretenimento digital em busca de relacionamentos e diversão.

Treinamento online é uma maneira moderna de praticar atividades físicas assistindo exercícios pela internet. É possível assistir aulas em qualquer lugar, a qualquer hora e a partir de diversas plataformas. As opções são diversas para quem curte se exercitar, como vídeos no Youtube, APPs especializados em treinamento e Personal Trainers online.

As vacinas e a expectativa pelo velho normal

Desacreditadas e sem credibilidade ao longo do primeiro ano da pandemia, as vacinas contra a COVID-19 são o conjunto de estudos e experimentos científicos para o desenvolvimento de uma prevenção a doença. Assim que a pandemia começou a apresentar um alto número de contágios pelo mundo inteiro, muitos laboratórios começaram uma corrida para desenvolver e testar vacinas para erradicar a pandemia.

Muitas vacinas demonstraram eficácia de até 95% na prevenção de infecções sintomáticas da doença. Em março de 2021, 12 vacinas foram autorizadas por pelo menos uma autoridade reguladora nacional para uso público e poderiam ser administradas em todo território nacional.

Disputas políticas e comerciais à parte, hoje contamos no Brasil com 4 vacinas de diferentes fabricantes: CoronaVac, AstraZeneca, Pfizer e Janssen. Exceto a Janssen que é aplicada em dose única, todas as demais são administradas em duas doses.

Através da ampla distribuição das vacinas no estado de Rondônia, estamos acompanhando com muita expectativa uma redução drástica nos números de novos contágios da doença. Levando em consideração que no auge do contágio chegamos a mais de 1300 novos casos por dia, é incrível vermos que na última semana tivemos média inferior a 70 casos/dia em todo o estado, sendo que esse número nunca foi tão baixo desde o início da pandemia.

Ainda que tenhamos temor em um novo pico da doença, estamos cada vez mais próximos a voltar à realidade que tínhamos antes de tudo isso ocorrer. Mas mesmo que a vacina nos proporcione algo próximo ao velho normal, não devemos esquecer os ensinamentos desse período e nossa evolução em assuntos como higiene, empatia e respeito ao próximo.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.