25.4 C
Rio Branco
14 outubro 2021 4:03 am

Acre: destino ideal para vivenciar uma experiência na floresta

POR ASCOM

Última atualização em 27/09/2021 17:34

O Dia Mundial do Turismo, 27 de setembro, é muito propício a divulgar belezas e curiosidades do Acre. Localizado na Região Norte, na Amazônia Brasileira, foi o último estado incorporado ao território nacional. Terra de gente guerreira e aguerrida, que lutou para ser brasileira. A história do Acre é encantadora.

Você pode conhecer um pouco dela visitando alguns de nossos espaços de memória:

Palácio Rio Branco

Considerado o maior patrimônio histórico e arquitetônico do Acre, o Palácio Rio Branco, localizado na homônima capital e instituído como sede do governo do Estado, começou a ser construído em 1920. Seu projeto arquitetônico foi elaborado pelo alemão Alberto Massler, inspirado nas edificações gregas, com colunas de estilo dóricas e jônicas na fachada principal. Foi inaugurado em 1930, mas só teve sua obra concluída em 1945. Ali é possível contemplar exposições que contam um pouco da história do estado.

Palácio Rio Branco. Foto: Aleff Matos/Sefaz
Museu da Borracha

Foi criado em 1978. Somente em 1990, suas instalações foram transferidas para o centro da cidade, onde funciona atualmente. É um espaço cultural destinado a coletar, pesquisar, conservar, expor e divulgar a cultura material e imaterial do Acre. Possui exposição permanente, que retrata os modos de vida da população acreana, em sua ampla diversidade social, econômica e religiosa.

Parque Capitão Ciríaco

É o maior seringal urbano do mundo. Um dos mais importantes espaços históricos e de lazer de Rio Branco. Constitui-se num verdadeiro museu a céu aberto, dedicado à formação histórica e cultural acreana e conectado ao surgimento da cidade de Rio Branco. Suas construções retratam a arquitetura tradicional acreana.

Foto: Arquivo Secom

 

Turismo de experiência

No Acre, pode-se conhecer os encantos da floresta, celebrar a cultura e a espiritualidade dos povos indígenas, comunidades ribeirinhas e seringueiras. O etnoturismo, turismo de experiência e vivência são fortíssimos no Acre.

Existe atualmente, no Acre, uma população aproximada de 17 mil indígenas vivendo em cerca de 200 aldeias, distribuídas em 36 terras indígenas (TIs) reconhecidas. A área estimada das TIs é superior a 2,4 milhões de hectares, o que equivale a 16% da extensão do estado, localizadas nas bacias dos rios Purus e Juruá, conforme dados adquiridos por meio de pesquisa no site da Comissão Pró-Índio do Acre (CPI).

Diversas aldeias realizam festivais no Acre Foto: Arquivo Secom

Dessas, várias etnias permitem visitações turísticas, como os povos Puyanawa (próximo a Mâncio Lima); os Nukini (no entorno do Parque Nacional da Serra do Divisor); os Yawanawá, em Tarauacá; os Ashaninka, no Alto Juruá; os Shanenawa, em Feijó, e os numerosos Kashinawá, ou Hunî Kuîn, como preferem ser chamados.

Trilhas

Outra experiência incrível são as trilhas no meio da floresta. As trilhas guiadas podem ser feitas com moradores locais ou guias turísticos.

A Reserva Extrativista Chico Mendes é referência no circuito de trilhas. O trajeto percorre seringais e várias partes da reserva, permitindo ao caminhante sentir a floresta densa e preservada em toda sua plenitude, com cheiros e sons da mata e das inúmeras espécies de animais que dividem o espaço com seringueiros e quebradores de castanha do Brasil.

Foto: Arquivo Secom

Uma caminhada pode durar até quatro dias na floresta. No caminho, o turista vivencia o cotidiano dos habitantes das matas e percorre a reserva em meio à floresta exuberante, com árvores centenárias e gigantescas.

Turismo Religioso

O turismo religioso compreende peregrinações, romarias, visitas a local de caráter histórico ou religioso, festas e espetáculos de cunho sagrado, desde as peregrinações católicas a rituais com a ayahuasca.

As festas católicas mais tradicionais são:

Festa de São Sebastião

Realizada anualmente no dia 20 de janeiro, a festa de São Sebastião é uma atração de Xapuri, distante 180 quilômetros da capital do Acre, com diversas ações voltadas à fé e celebração dos devotos do santo. É a 2ª maior festa de segmento religioso do estado, perdendo apenas para o Novenário de Nossa Senhora da Glória, de Cruzeiro do Sul.

A festa de São Sebastião atrai milhares de fiéis ao município de Xapuri Foto: Arquivo Secom
Novenário de Nossa Senhora da Glória

A festa de Nossa Senhora da Glória celebra uma das partes mais significativas da vida de Maria: sua subida ao céu de corpo e alma. É realizada em agosto e considerada um dos maiores eventos religiosos do Acre.

Romaria de Santa Raimunda

Realizada no mês de agosto em Assis Brasil, na região do Alto Acre, a romaria, em homenagem a Santa Raimunda do Bom Sucesso, atrai um grande número de fiéis para a região. Mesmo com tamanha devoção, inclusive com adeptos de países vizinhos (Peru e Bolívia), a santa ainda não é canonizada pela Igreja Católica.

O Acre é o berço da doutrina do Santo Daime, manifestação religiosa criada na região amazônica, em 1930, por Raimundo Irineu Serra (Padrinho Irineu). Nos rituais são tocadas músicas, hinos e os adeptos dançam de uma forma constante e organizada, vestidos de branco. Os cultos podem chegar a 12 horas de duração, com algumas pausas para a ingestão do Daime.

Biodiversidade

A fauna e a flora são riquíssimas e podem ser apreciadas e admiradas em todos os 22 municípios acreanos.

Rio Croa

O Rio Croa, localizado em Cruzeiro do Sul, a 648 km da capital Rio Branco, guarda paisagens naturais de muita riqueza em fauna e flora. O rio de águas escuras, com características de lago, chama atenção por sua beleza.

O tapete verde é uma das principais atrações do local Foto: Neto Lucena/Secom

Ao longo do Rio Croa é fácil encontrar árvores centenárias, como a samaúma e a seringueira, além de vitórias-régias, que nas águas do Croa se proliferam e embelezam ainda mais o lugar, paradisíaco. Existem restaurantes e pousadas no local.

Parque Nacional da Serra do Divisor

É o quarto maior parque nacional brasileiro e é considerado também o local de maior biodiversidade da Amazônia. Criada em 1989, a unidade de conservação (UC) está situada na fronteira entre o Acre e o Peru, com território distribuído pelos municípios de Cruzeiro do SulMâncio LimaMarechal ThaumaturgoPorto Walter e Rodrigues Alves.

O Rio Moa é uma das principais atrações do parque, possui lindas cachoeiras e corredeiras, e é navegável por embarcações de pequeno porte durante o ano inteiro. Recentemente, foram descobertas cavernas no local. Populações indígenas e seringueiras habitam no local.

A Serra do Divisor é deslumbrante Foto: Arquivo Secom

 

O parque pode ser visitado, sem restrição, durante o ano todo.

Quer saber mais? Visite o site oficial do turismo no Acre: https://turistanoacre.ac.gov.br/

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.