25.3 C
Rio Branco
16 setembro 2021 9:58 pm

Ageac realiza fiscalização para combater transporte clandestino intermunicipal de passageiros

POR SECOM

Última atualização em 02/09/2021 13:17

Como forma de reduzir os índices de acidentes nas rodovias acreanas, a Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Acre (Ageac) iniciou, nesta semana, novos trabalhos de fiscalização de veículos que realizam o transporte intermunicipal de passageiros.

As ações compõem o cronograma da campanha “Transporte clandestino é a alternativa mais rápida para o acidente”, que tem o objetivo de conscientizar a população de que o transporte regular é a única opção segura. As iniciativas contam com as parcerias das Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar.

“Os fiscais estão efetuando novas inspeções nos veículos que trafegam nas rodovias do estado, verificando se os mesmos atendem às normas exigidas para o transporte com segurança, oferecendo mais comodidade aos passageiros, além de combater possíveis condutores clandestinos”, destaca a diretora-presidente da Ageac, Mayara Lima.

A gestora relata que qualquer condutor que for flagrado realizando o transporte clandestino de passageiros ficará sujeito a penalidades legais, como multa e até retenção do veículo, já que para circular nas rodovias intermunicipais é necessária a autorização prévia da Ageac.

“O transporte clandestino é perigoso e ilegal, pois coloca em risco a vida dos passageiros e consequentemente gera prejuízos para o sistema. Isso também compromete o equilíbrio econômico-financeiro dos veículos autorizados pela Ageac, que passam por vistorias; os seus proprietários pagam os devidos impostos e estão amparados pela legalidade”, alerta a diretora.

Em caso de dúvida, reclamação ou denúncia de transporte clandestino, os usuários podem se pronunciar por meio da Ouvidoria da Ageac, pelo contato telefônico: 0800 710 2606 ou pelo e-mail: [email protected]

 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.