27.8 C
Rio Branco
13 outubro 2021 11:26 pm

Bebê se engasga com pedaço de folha durante sessão de fotos e é salva por fotógrafa

Mãe relembra que a pequena, em "questão de segundos", colocou a folha na boca, ficando vermelha e com muita tosse. Enquanto isso, pai falava com o Corpo de Bombeiros e a profissional realizava a manobra

POR G1

Última atualização em 27/09/2021 15:41

A última “arte” da Clara, de 11 meses de idade, tinha sido tentar colocar uma formiga na boca em casa, mas, nem de longe, os pais imaginariam que ela fosse engasgar com folha seca, durante ensaio em uma praça no bairro Carandá Bosque, em Campo Grande. O fato ocorreu há 6 dias e susto só não foi maior porque a fotógrafa Taygra Prates, de 26 anos, realizou a manobra de desengasgo na bebê enquanto o pai falava com o Corpo de Bombeiros e a mãe tentava conter o desespero.

“A gente agendou esse ensaio faz tempo, para comemorar o primeiro aninho dela. E daí fomos para o Bosque da Paz. Nós a colocamos no chão e foi tudo muito rápido, em questão de segundos mesmo ela colocou a folha na boca e começou a engasgar, a ficar vermelha, a tossir muito. Foi desesperador e a fotógrafa foi essencial naquele momento, não quero nem passar no que poderia ter acontecido”, afirmou ao g1 a relações públicas Simoni Neto Monteiro Machado, de 37 anos.

Na ocasião, a mãe conta que a pequena Clara ficou vermelha e começou a intensificar a tosse. “Eu tenho uma outra filha, que atualmente tem 10 anos de idade. Só que, até os 5, ela tinha convulsão. Já a Clara nasceu prematura e chegou a ficar na UTI [Unidade de Terapia Intensiva] onde eu aprendi a fazer a manobra. Mas ali, na hora, é desesperador, você fica sem reação e é igual a fotógrafa falou, que é diferente a reação quando é o filho da gente, mesmo você sabendo fazer o procedimento”, disse.

Conforme Machado, antes mesmo da chegada dos militares, houve o desengasgo. “A Taygra ficou fazendo a manobra, virou ela e foi o único momento que eu consegui intervir e retirar o pedaço da folha, que era grande e estava toda despedaçada. Tudo isso durou de 2 a 3 minutos e aí ela já parou de chorar e ficou sorridente, quando a fotógrafa captou aquela imagem dela ainda com resquício de choro. Foi só ali que eu também controlei as emoções”, disse.

Tentei manter a calma, diz fotógrafa

Henrique nasceu prematuro e ficou mais de 130 dias na UTI em MS — Foto: Redes Sociais/Reprodução
Henrique nasceu prematuro e ficou mais de 130 dias na UTI em MS — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Mãe de um bebê prematuro e que passou 131 dias na UTI, Taygra fala que foi essencial aprender a manobra do desengasgo não só para o filho, mas, para a vida, o que a fez manter a calma e salvar a vida da Clara durante o ensaio fotográfico.

Nas redes sociais, ela contou que o filho, atualmente, está com 1 ano e 6 meses, porém, no tempo que esteve internado, ele vivia “assustando” a equipe médica por ser “bem danadinho”. Já com a Clara, o incidente ocorreu minutos antes das fotos e a primeira reação da bebê foi tossir.

“…No início eu e os pais não sabíamos pq ela estava tossindo tanto, até então não sabíamos da folha. Então Clara começou a mudar de cor e a tosse foi ficando fraca, foi quando eu comecei a iniciar a manobra de desengasgo enquanto o pai ligava na emergência. Foram minutos bem tensos para os pais dela, mas tentei manter a calma e continuava com a manobra… até que, após um tempo, Clara conseguiu expelir a folha, e foi voltando a sua cor normal e a respirar melhor”, argumentou.

Ao final, ela disse que refletiu o quanto foi importante aprender a manobra, já que a mãe, mesmo sabendo do procedimento, ficou “em choque”. A fotógrafa ainda ressaltou que é “importantíssimo aprender tanto a manobra de desengasgo quanto qualquer procedimento de primeiros socorros”.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.