32.3 C
Rio Branco
22 outubro 2021 11:52 am

Com limitações, corredor de Sena completa percurso de 10km em maratona e é aplaudido

A Corrida Mamedio Bittar, que teve sua primeira edição realizada nos 116 anos de Sena Madureira, angariou apaixonados pela corrida, assim como ocorreu com Ediberto Batista, que pratica o esporte há 6 anos

POR RENATO MENEZES, PARA CONTILNET

Última atualização em 27/09/2021 11:46

Superação é uma palavra que o corredor com deficiência Ediberto Batista, de 43 anos, conhece muito bem. Oriundo de Sena Madureira, ele não hesitou em passar por mais um desafio, e dessa vez, com 10 quilômetros para enfrentar pela frente durante a 1ª Corrida Mamedio Bittar, ocorrida no último sábado (25) no município em comemoração aos 117 anos da queridinha do Iaco.

Segundo ele, que já pratica corrida há 6 anos, em qualquer oportunidade que seja de competir, ele se faz presente. Mesmo tendo sido diagnosticado com meningite aos 35 anos, isto não foi fator para desestimulá-lo frente à paixão pela corrida. “Pelo contrário, me sinto cada vez mais motivado”, complementou.

Ediberto Batista também participou, no último domingo (27), da corrida do Bope. Foto: Arquivo pessoal

A prova disto é tanta que, no mesmo fim de semana, mais precisamente no último domingo (26), ele participou de uma corrida de 5 quilômetros organizada pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope), e já vai se preparar para outra competição que ocorrerá no início do mês de outubro, na capital.

“TODOS NÓS SOMOS CAPAZES”

E isto não é nem de longe a maior que já enfrentou. De acordo com o atleta, ele já participou de maratonas de 21km cumprindo o percurso em 2h45. Nas corridas de 10km, em até uma hora. Já nas de 5km, em até 45 minutos.

“Eu avalio que cada corrida eu me recupero mais. Hoje (27) já fui treinar, porque dia 03 tem outra oficial. Sempre tive meu ponto positivo, que vou conseguir porque eu posso, eu sou forte”, pontuou.

A motivação também vem por parte dos familiares, amigos e até mesmo de pessoas que não tem nenhum contato com Ediberto. Os aplausos que recebeu ao terminar o percurso acabaram sendo mais motivadores que quaisquer posições no pódio ou premiações.

“O meu sentimento de cruzar a linha de chegada é maravilhoso. Muita felicidade. Ainda mais (vendo) todos aplaudindo minha chegada. É muita gratidão. Todos nós somos capazes de superar nossas limitações. Basta ter fé, força e determinação porque todos nós passamos por obstáculos, agora basta vencer”, disse.

Fotos: Douglas Richer

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.