24.3 C
Rio Branco
18 outubro 2021 9:09 pm

Esposa de piloto que morreu ao bater em poste diz que marido a beijou antes de sair de casa: ‘Olhou como se fosse me deixar’

Esposa conta que companheiro gostava de ajudar pessoas e tinha vários amigos em Porto Velho. Mulher diz ainda que marido a olhou 'de forma diferente' no dia do acidente.

POR G1

Última atualização em 20/09/2021 16:14

Katiane Castro, esposa do motociclista Vitor Tiago Ferreira da Silva, que morreu na semana passada após bater em um poste, falou com o G1 sobre a saudade que tem do companheiro. Segundo a mulher, no dia acidente o marido havia saído de casa para comprar carne para o filho do casal.

Enquanto conduzia a moto, Vitor, de 35 anos, acabou passando por um quebra-molas, perdeu o controle do veículo e foi arremessado contra um poste em uma rua do bairro Flodoaldo Pontes Pinto, em Porto Velho. O acidente foi filmado por uma câmera (veja aqui).

Em entrevista, Katiane Castro conta que no dia do acidente, em 12 de setembro, seu marido havia acordado cedo, estava feliz e dizia ter recebido uma bênção.

“Eu não sei qual era a bênção, mas ele estava feliz. Ele tinha comprado um peixe pra gente almoçar, mas como nosso filho não come peixe, ele saiu, de novo, pra comprar carne. Foi quando tudo aconteceu”, afirma.

Antes de sair com a moto de casa, Katiane diz que seu marido a olhou de uma forma diferente, como se fosse uma despedida.

“Nesse dia ele estava muito feliz, mas também estranho. Ele disse que me amava, me beijou, e depois ficou me olhando como se pedisse desculpa, por meio do olhar, já justificando que iria me deixar. Foi muito estranho” , afirma.

Katiane lembra que Vitor era uma pessoa querida por todos e tinha vários ciclos de amizade, incluindo no esporte.

Ele vivia como fosse o último dia de vida dele. Era uma pessoa muito boa de coração e ajudava as pessoas. Gostava de ver a família unida. Era um cara perfeito de saúde, gostava de fazer academia musculação, jiu-jitsu e muay thai”.

Katiane diz que esperava o marido retornar do mercado quando um amigo chegou em sua residência e contou sobre o acidente fatal envolvendo Vitor.

“Nos só saíamos juntos. Tudo fazíamos juntos. Mas naquele dia, ele insistiu que eu ficasse o esperando. Mas ele não voltou. Ainda tenho a sensação que a qualquer momento ele vai chegar aqui em casa buzinando pra eu abrir o portão. Mas isso não vai acontecer”, finaliza.

Vitor e Katiane tem um filho juntos. A missa de sétimo dia foi realizada no fim de semana em Porto Velho.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.