24.3 C
Rio Branco
7 setembro 2021 8:46 am

Gabigol será o 19º jogador a marcar 100 gols pelo Flamengo

Com 97 gols em 129 jogos, atacante tem tudo para se posicionar em oitavo no ranking de quem precisou de menos tempo para chegar ao centésimo. Alfredinho, na década de 30, é o recordista

POR GE

A marca é questão de tempo. Difícil imaginar que Gabigol voltará a seleção brasileira e demorará muito para atingir o centésimo gol com a camisa do Flamengo.

Com 97 em 129 partidas, o atacante é um pulverizador de recordes pelo clube. Mas e o gol 100, o colocará em qual condição nesta lista seleta com a camisa rubro-negra? Fomos atrás das respostas.

Gabriel se tornará somente o 19º jogador nos quase 126 anos de história do clube a atingir o feito.

O primeiro, e dono da melhor média, foi Alfredinho, atacante da década de 30. O último, também com números impressionantes, foi Romário, em 1997.

Dissecamos as estatísticas com o auxílio do jornalista e pesquisador Emmanuel do Valle, dono do blog Flamengo Alternativo.

Quem precisou de menos jogos até o 100º?

 

Clube dos 100 por ordem de jogos — Foto: Pesquisa @FlaAlternativo
Clube dos 100 por ordem de jogos — Foto: Pesquisa @FlaAlternativo

O grupo dos 100 conta com lendas não só do Flamengo, mas do futebol brasileiro, como Leônidas da Silva, Zizinho, Evaristo de Macedo, Zico, Bebeto e Romário. Mas há também os pouco lembrados Alfredinho e Nonô, que abriram caminho e são detentores das melhores médias.

– O Alfredinho (Alfredo Willemsens) é um jogador muito pouco conhecido ou lembrado, provavelmente por ter jogado numa fase de transição do Flamengo. Ele atuou entre 1934 e 1937, dentro do maior jejum da história do clube e numa era pós-Rua Paissandu e pré-Gávea. Mas tem uma média de gols espantosa – explica Emmanuel do Valle.

Tradicional plaquinha que fez sucesso em 2019 — Foto: Pedro Martins
Tradicional plaquinha que fez sucesso em 2019 — Foto: Pedro Martins

Em 1936, em vitória por 4 a 2 sobre o Jequiá, Alfredinho chegou ao centésimo gol em somente 96 partidas, superando Nonô, o primeiro a atingir o feito, com 100 jogos cravados, em novembro de 1925.

Precisando de três gols e com 129 jogos, Gabigol ao que tudo indica ocupará a oitava colocação no ranking dos que precisaram entrar em campo menos vezes para se tornar centenário. Isso porque o oitavo atual é Índio, com 150 partidas. É difícil imaginar que o atual camisa 9 demore mais do que 21 para ir às redes três vezes.

Gabi, por sua vez, não tem como superar Romário, que marcou o centésimo em seu jogo 116. A partida, em março de 1997, ficou marcada não pelo feito, mas pela famosa briga entre o Baixinho e o lateral Cafezinho, no 7 a 0 sobre o Madureira, na Gávea.

Clube dos 100 por ordem de entrada

 

Clube dos 100 por ordem cronológica — Foto: Twitter @FlaAlternativo
Clube dos 100 por ordem cronológica — Foto: Twitter @FlaAlternativo

Maior ídolo da história do clube, Zico é somente o 11º nesta lista e precisou de 180 partidas para chegar aos 100 gols, em um 3 a 1 sobre o América, em julho de 1975. Depois, o Galinho deslanchou, enumerou títulos e se despediu com 509 gols pelo Flamengo.

Entre os centésimos gols, o pesquisador Emmanuel chama a atenção para o de Joel pelo seu caráter decisivo.

– Se eu tivesse que escolher dessa lista um gol marcante, seria o do Joel, de bicicleta contra o Palmeiras no Maracanã, na fase final do Torneio Rio-São Paulo de 1961, que o Flamengo acabou conquistando.

Zico e Gabigol se abraçam no Ninho do Urubu — Foto: Divulgação
Zico e Gabigol se abraçam no Ninho do Urubu — Foto: Divulgação

Números na mesa, agora basta esperar Gabigol voltar da Seleção para começar a regressiva. O próximo compromisso do Flamengo será contra o Palmeiras, domingo, às 16h (de Brasília), em São Paulo. Na sequência, o rival será o Grêmio duas vezes consecutivas: dia 15, pela Copa do Brasil, e dia 19, pelo Brasileirão, ambas como mandante. Façam suas apostas.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.