30.3 C
Rio Branco
28 setembro 2021 11:55 am

Imagens de “bom dia” no WhatsApp podem roubar dados pessoais. Entenda

Uma mensagem circula em grupos de aplicativos, em tom alarmista, pedindo para usuários do WhatsApp

POR R7

Última atualização em 09/09/2021 11:35

Uma mensagem circula em grupos de aplicativos, em tom alarmista, pedindo para usuários do WhatsApp apagarem imagens e GIFs (imagens animadas) de “bom dia, boa noite e saudações”, e pedindo que nunca mais se use esse tipo de imagem, disponibilizada no aplicativo, é, de acordo com um portal chinês, um código de vírus.

Segundo a mensagem, um portal de notícias chamado “Shangai China International News” teria enviado um SMS para seus assinantes, alertando que ‘especialistas’ pedem que se deixe de enviar esse tipo de mensagem no WhatsApp.

A sugestão dos especialistas seria para que as pessoas continuem enviando mensagens de cumprimentos, mas com imagens próprias.

No relatório dos especialistas, citado na mensagem, constaria que “hackers que atacaram a China criaram essas imagens, mas há um código de phishing oculto e, quando todos enviam essas mensagens, os hackers usam seu dispositivo para roubar informações pessoais, como informações de cartão de banco e dados e invadir seu telefone”.

Ainda de acordo com o relatório, cerca de meio milhão de usuários teriam sido lesados por conta dessa fraude.

O “phishing” citado na mensagem é um tipo de golpe virtual em que criminosos criam páginas e links falsos para as pessoas compartilharem dados pessoais e desta forma serem vítimas de fraude e extorsão.

As informações da mensagem são falsas. Primeiro, através de uma busca no Google não foi encontrado o site “Shangai International News”. As únicas referências feitas a esse suposto portal são de outras agências de checagem, que também desmentiram esse boato.

Além disso, a própria assessoria do WhatsApp afirmou que a mensagem é falsa.

“Imagens e Gifs trocados na plataforma não possuem potencial danoso”.

Ainda segundo a mensagem falsa, as informações foram colhidas a partir do “aviso da advogada Olga Nikolaevnas”.

Essa pessoa realmente existiu, mas morreu há mais de cem anos, em 1918. Olga foi a filha mais nova de Nicolau II, último imperador da Rússia.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.