22.3 C
Rio Branco
17 setembro 2021 5:58 am

Pai é preso ao abusar da filha e idosa internadas em posto de saúde: “Não lembro de nada”

Vítimas estavam internadas em MS e o suspeito acompanhava a filha no quarto, quando teria cometido o crime

POR G1 MS

Última atualização em 01/09/2021 16:29

Um homem de 52 anos foi preso em flagrante, na madrugada desta quarta-feira (1°), no Centro Regional de Saúde (CRS) do bairro Coophavila II, região sul de Campo Grande, após abusar sexualmente da própria filha, de 29 anos, e uma idosa, de 60 anos. Segundo a polícia, ambas estavam internadas no local por conta de um surto psiquiátrico e sedadas em um quarto da unidade de saúde.

A prisão do suspeito ocorreu por volta das 4h40 (de MS). Pouco tempo antes, uma testemunha presenciou o crime e acionou socorro. Ela também o visualizou o homem com as calças abaixadas e ressaltou que já tinha visto ele andando sem roupas pelo quarto.

No depoimento, a servidora também disse que a idosa estava com o short e a calcinha abaixada na altura do joelho, “visivelmente agitada” e sem poder falar por conta da ação do medicamento. Uma enfermeira também prestou depoimento e confirmou ter presenciado a mesma cena.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), o homem foi retirado a sala e conduzido até a delegacia pela Guarda Municipal.

“Ele negou os fatos, só disse que saiu para jantar pouco antes, bebeu pinga e estava bêbado, não lembra de nada. Nós vamos pedir a prisão preventiva dele e a filha será encaminhada para atendimento psicólogo, com a intenção de sabermos quando, possivelmente, estes abusos iniciaram”, afirmou ao G1 a delegada Joilce Siqueira Ramos, responsável pelas investigações.

Conforme a polícia, o suspeito deve responder por estupro de vulnerável, em ambos os casos. A pena para este crime varia de 8 a 15 anos de reclusão. A audiência de custódia dele deve ocorrer nesta quinta-feira (2).

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.