24.3 C
Rio Branco
16 setembro 2021 1:36 am

Paralisação de caminhoneiros em Rondônia já ameaça o abastecimento do Acre

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Última atualização em 09/09/2021 15:15

A tensão e o medo do desabastecimento no Acre, principalmente na área de alimentos e de combustíveis, estão aumentando à medida que os caminhoneiros em protesto em manifestações em favor do governo do presidente Jair Bolsonaro se mantém firmes na decisão de bloqueio da BR-364. Enquanto caminhoneiros de outras regiões do país começam a levantar os bloqueios, em Rondônia, ao longo da 364, a rodovia está fechada em pelo menos dez pontos a partir de Vilhena até Porto Velho (RO). Além de Rondônia, os protestos só continuam em outros quatro estados.

A BR-364 é o único ponto de acesso do Acre ao resto do país por via terrestre. Por isso, a rodovia é a única via pela qual o Acre exporta e recebe as mercadorias com as quais o mercado local é abastecido, principalmente em relação a produtos alimentícios e de combustíveis.

Isso fez com que, nas últimas horas aumentou o número de pessoas em supermercados e em postos de combustíveis. O temor é que, se for mantido o bloqueio por mais alguns dias, os caminhões com os produtos para abastecer o Acre, produtos alimentícios e combustíveis possam faltar na Capital, principalmente.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os atos de bloqueio da BR acontecem em Porto Velho, Cacoal, Ji-Paraná, Ouro Preto, Candeias, Jaru, Cujubim e Presidente Médici. Na maioria dos locais, apenas carros pequenos, veículos de emergência e cargas de alimentos perecíveis estão tendo o trânsito liberado pelos manifestantes.

As interdições continuam mesmo após o presidente Jair Bolsonaro gravar um áudio pedindo aos caminhoneiros que liberem as estradas do país. Na gravação, Bolsonaro diz que a ação “atrapalha a economia” e “prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres”.

A seguir, os pontos de bloqueios, segundo a Polícia Rodoviária Federal: Jacy-Paraná (distrito de Porto Velho): Fechamento da rodovia no KM 789; Cacoal: bloqueio no km 234, entre a região metropolitana e o bairro riozinho, zona rural. No local, os organizadores bloquearam o sentido crescente da pista com pneus, cones e latas de diesel. De acordo com a PRF, os manifestantes estão realizando uma espécie de ‘Pare e Siga’ para evitar congestionamentos; Candeias do Jamari: bloqueio no KM 691 (entre Candeias e Porto Velho). Trânsito liberado apenas para carros de pequeno porte, veículos de emergência, de carga viva e de carga perecível; Ji-Paraná: bloqueio na região do Anel Viário, km 337. Carros de passeio, emergência, carga viva e perecível estão passando; Ouro Preto do Oeste: bloqueio no KM 387. Cerca de 15 caminhões realizando bloqueio, sentido crescente, Trânsito Liberado para Veículos de passeio, de emergência, ônibus, perecíveis e carga viva;. Jaru: bloqueio no Km 425. Fechamento da rodovia. Sem informações do tipo de fluxo; Cujubim: bloqueio no km 563 Veículos de passeio, cargas vivas e perecíveis, produtos perigosos e veículos de emergência podem trafegar livremente; Presidente Médici: bloqueio no km 305, no trevo de acesso à BR-429. Veículos de passeio, cargas vivas e perecíveis, veículos de emergência podem trafegar livremente; Vilhena: interdição parcial da rodovia no KM 19, com autorização para passagem de veículos de passeio, cargas vivas e perecíveis, veículos de emergência podem trafegar livremente; Ariquemes: bloqueio parcial no km 514. Veículos de passeio, cargas vivas e perecíveis, veículos de emergência podem trafegar livremente.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.