27.3 C
Rio Branco
19 outubro 2021 4:08 pm

Polícia concluí inquérito de ‘arrastão’ em aeroporto que levou três aviões, entre eles do cantor Almir Sater

Inquérito foi encaminhado ao poder judiciário para "agilizar" condenação de parte dos bandidos. Ao mesmo tempo, polícia civil de MS instaurou auto complementar e continua a fazer buscas para recuperar aviões.

POR G1

Última atualização em 24/09/2021 16:40

A Polícia Civil concluiu o inquérito que apurava o “arrastão” no aeroporto de Aquidauana, na região oeste de Mato Grosso do Sul, onde foram levados três aviões, entre eles do cantor Almir Sater.

Ao G1 a delegada Ana Cláudia Medina, responsável pelas investigações, disse que a intenção é “agilizar” a condenação de parte dos bandidos.

“A primeira fase foi concluída, com as prisões em flagrante e o inquérito segue para ação penal. Ao mesmo tempo, nós continuamos com as buscas para recuperar as aeronaves”, explicou Medina.

No teor do inquérito, constam imagens de câmeras que mostram parte da ação do grupo criminoso, além de um vídeo em que seis bolivianos aparecem tomando banho no Rio Aquidauana, seis dias antes deles praticaram o crime, fugindo rumo ao exterior com os aviões roubados.

O “turismo” na região, ainda conforme a polícia, também ocorreu com a visita do grupo criminoso a uma boate da cidade. Neste caso, a investigação teve acesso a comandas de pagamentos dos suspeitos, fato que foi confirmado com o depoimento de uma testemunha, de acordo com a investigação.

No vídeo de 45 segundos, os bolivianos aparecem bem tranquilos, tomando banho no rio, conversando, sorrindo e acenando em alguns momentos. O vídeo constará no teor do inquérito e também é analisado pela perícia, com a intenção de ajudar na identificação dos suspeitos. Até o momento, a polícia aponta ao menos 18 envolvidos, sendo 10 deles identificados e 3 presos.

Mentor do crime é foragido da Justiça

 

Preso condenado a 80 anos fugiu da cadeia e pode estar envolvido em roubo de aviões — Foto: Agepen-MS/Divulgação
Preso condenado a 80 anos fugiu da cadeia e pode estar envolvido em roubo de aviões — Foto: Agepen-MS/Divulgação

A investigação do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco), até o momento, apontou que Laudelino Ferreira Vieira, o “Lino”, de 42 anos, é um dos mentores do crime. No dia 31 de maio deste ano, ele simplesmente desapareceu do presídio de segurança máxima, em Campo Grande, onde cumpria pena de 80 anos de reclusão.

“Lino” tem histórico de participação no mesmo tipo de crime, o roubo de três aviões em Corumbá, em janeiro de 2004, quando um piloto foi assassinado, e agora no aeroclube de Aquidauana, a 140 quilômetros de Campo Grande.

Conforme os depoimentos de dois envolvidos que foram presos pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar (BpChoque), Roger Breno Wirmond dos Santos, 22 anos, e Cristhofer Cristaldo Rocha, de 21 anos, o foragido dava as ordens por chamada de vídeo, de um local desconhecido.

Diante das informações, o juiz Alexsandro Motta, de Aquidauana, converteu a prisão de Roger e Cristhofer em preventiva e também concedeu ordem para captura de para Laudelino Vieira e mais três homens. São eles Lázaro da Silva Ramirez, em nome de quem estava a casa identificada pela polícia como base do bando, Ivanildo da Silva Dias, e Kevin Moreno, esse último de nacionalidade boliviana.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.