22.3 C
Rio Branco
6 dezembro 2021 7:42 am

CPI da Covid vai indiciar Bolsonaro e Pazuello por quase 20 crimes, inclusive genocídio

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Última atualização em 15/10/2021 12:37

O relatório final do senador Renan Calheiro (MDB-AC) sobre a CPI da Covid, a ser lido no Senado na próxima terça-feira (19), deverá acusar o presidente Jair Bolsonaro de pelo menos 11 crimes e seu ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, de outros sete tipos.

Em declarações à Agência Senado na manha desta sexta-feira (15), Renan Calheiros disse que o ex-ministro Pazuello foi um dos principais responsáveis pelo enfrentamento equivocado e criminoso da pandemia do coronavírus no Brasil. Os crimes pelos quais o relatório deve pedir que Pazuello responda são:

Crime de epidemia com resultado de morte;
Crime por incitação ao crime;
Crime por emprego irregular de verba pública;
Crime de prevaricação;
Crime por comunicação falsa de crime;
Crime por genocídio de indígenas;
Crime contra a humanidade.

O secretário-executivo de Pazuello no Ministério da Saúde, Elcio Franco, também deverá estar na lista dos que terão proposta de indiciamento. No caso de Franco, agora assessor especial da Casa Civil, ele pode ser indiciado por pelo menos três crimes. São eles:

Crime de epidemia com resultado de morte;
Improbidade administrativa;
Crime de prevaricação.

O atual ministro da Defesa, Walter Braga Netto, também deve estar na lista. Ele foi o coordenador do grupo de gestão da crise da pandemia quando comandava a Casa Civil. O relatório deve propor que ele seja indiciado por prevaricação, por ter sido o coordenador do grupo de gestão da crise e por ter participado da reunião em que chegou a ser proposta mudança na bula da cloroquina para incluir o tratamento de Covid.

O deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, deve figurar na lista de pedido de indiciamento pelos crimes de advocacia administrativa e improbidade administrativa. Já a médica Nise Yamaguchi, deve estar na lista pelo crime de epidemia culposa com resultado de morte. No mesmo tipo de crime, deve figurar o deputado Osmar Terra.

Já os crimes atribuídos a Bolsonaro são os seguintes:

Crime de epidemia com resultado de morte;
Crime de infração a medidas sanitárias preventivas;
Crime de emprego irregular de verba pública;
Crime pela incitação ao crime;
Crime de falsificação de documentos particulares;
Crime de charlatanismo;
Crime de Prevaricação;
Crime de genocídio de indígenas;
Crime contra a humanidade;
Crime de responsabilidade;
Crime de homicídio comissivo por omissão no enfrentamento da pandemia.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.