26.3 C
Rio Branco
13 outubro 2021 10:50 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Em busca de empréstimo de mais de 40 milhões de dólares, Gladson vai até Brasília e se reúne com Paulo Guedes

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Me dá um dinheiro aí

O governador Gladson Cameli (Progressistas) está peregrinando por Brasília em busca de um empréstimo de R$ 41 milhões de dólares. De acordo com o governador, a busca pelos recursos é para “investir em grandes obras de infraestrutura em nosso estado, que vão gerar emprego e renda para a população”.

Posto Ipiranga

No Ministério da Economia, Gladson se reuniu com Paulo Guedes e com o subsecretário de Financiamento ao Desenvolvimento de Mercado Internacional (Sufin), Carlos Eduardo Lampert Costa. O objetivo da reunião foi saber como andava a Carta Consulta que solicita o empréstimo dos mais de 40 milhões de dólares. O governador foi informado que o financiamento será analisado na próxima reunião do Conselho Deliberativo do Fundo Financeiro para Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata).

Finalidade

De acordo com o que foi divulgado pelo governador, o dinheiro será aplicado na restauração da Rodovia AC-40, do trevo da BR-317 até Plácido de Castro; na construção da ponte de interligação do Bairro 15 com a Regional da Baixada, em Rio Branco; na construção da ponte da Sibéria em Xapuri; na urbanização com contenção das margens do rio Acre, em Rio Branco, e do rio Juruá, em Cruzeiro do Sul; e na implantação do coletor tronco da bacia do Igarapé Boulevard Thaumaturgo, em Cruzeiro do Sul.

Aleac

Articulando a liberação do montante em Brasília, Gladson precisa ainda que os deputados estaduais aprovem o empréstimo para que o dinheiro caia na conta do Governo. “Estamos confiantes também na breve aprovação do pedido desse empréstimo, a ser votado pela Aleac, pois com ele vamos aquecer a economia do nosso estado, gerar empregos e melhorar a vida das pessoas”, disse.

4G

Ainda de Brasília, o governador anunciou que participou de uma reunião virtual com representantes da TIM para tratar da expansão do serviço de 4G “para todas as comunidades distantes do nosso Acre que não possuem telefonia móvel”. O governador quer repetir a experiência da Vila Restauração, localizada na Reserva Extrativista do Alto Juruá, onde foi instalada a primeira antena 4G da Tim na região. “Queremos expandir o serviço o mais rápido possível e garantir direitos iguais para todos”, disse.

União Brasil

Ocorrida na noite de ontem, a convenção conjunta dos partidos DEM e PSL, que deu origem à nova sigla “União Brasil”, resultado da fusão da dupla, contou com a presença do deputado federal pelo Acre, Alan Rick (DEM) e do senador Marcio Bittar, que deve assumir a presidência da nova legenda no Acre.

Comemorou

Um dos principais “atingidos” pela fusão, o deputado federal Alan Rick (DEM) comemorou a união dos partidos. “É oficial: O União Brasil 44 nasceu. Trata-se de um momento significante para todos nós. O Democratas se fortaleceu muito no Acre, contando atualmente com 18 vereadores e 1 prefeito”, disse.

Parece mágica 🎼

Votado às pressas nesta quinta (7), o Projeto de Lei que institui a concessão de subsídio tarifário ao transporte coletivo urbano de Rio Branco foi aprovado quase que por unanimidade na Câmara de Vereadores, não fosse o voto contrário da vereadora Michelle Melo (PDT), vice-presidente da Casa. A parlamentar justificou o voto dizendo que sua posição foi exclusivamente em favor dos trabalhadores, que estão sem receber seus salários e que não é o repasse que vai resolver isso e nem os outros problemas do transporte público na Capital. “Eu não costumo acreditar em mágica”, disparou.

Ausência

Quem também, muito provavelmente, votaria contra o projeto seria o vereador Emerson Jarude (MDB). Porém, o parlamentar está fora do Acre, ele foi participar do Campeonato Brasileiro de Futebol dos Advogados, competição que participa desde 2013. Jarude esperava que a votação ocorresse apenas na próxima semana, como havia sido planejada pela mesa diretora da Câmara.

Outro lado

O vereador Samir Bestene (PP) confessou que sabe que o subsídio não vai resolver o problema do transporte público na Capital, mas vai atuar como um ‘ganho de tempo’ para que a Prefeitura tome uma atitude quanto às empresas. “Quando se falou em subsídio, sempre colocamos os requisitos básicos para a aprovação da PL, e a principal era o pagamento do salários dos mais de 1.500 pais de famílias, a melhoria da qualidade de serviço, a redução do preço de passagem. Então quero que seja bem explícito, para que não se passe outra imagem para a população”, disse o vereador.

 

 

 

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.