26.3 C
Rio Branco
13 outubro 2021 10:53 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Em protesto, pais pedem prisão de fisioterapeuta acusada de agredir crianças em Manaus

POR G1 AM

Pais de crianças agredidas por uma fisioterapeuta realizaram um protesto na manhã desta sexta-feira (8), em Manaus. Eles pediram que a mulher de 44 anos, que aparece em um vídeo batendo em uma criança autista, seja presa. Em nota, a Polícia Civil afirmou que outras duas famílias também denunciaram a mulher por agressões. A fisioterapeuta nega as acusações.

O protesto ocorreu em frente ao prédio do 22º Distrito Integrado de Polícia (DIP), localizado no bairro Nossa Senhora das Graças, e reuniu pais e familiares das crianças.

Em nota, a defesa da fisioterapeuta disse que a manifestação é assegurada pela Constituição Federal, que também garante ninguém será considerado culpado até o julgamento da Justiça. Os advogados também ressaltaram que não há, até o presente momento, ação penal em curso e que a prisão preventiva é incabível no caso em questão.

O caso foi denunciado no dia 17 de julho, após a mãe de uma criança procurar a polícia. Em depoimento, ela contou que o filho realizava tratamento de terapia ocupacional desde fevereiro deste ano. No dia 1º de julho, o pai da criança foi até a clínica buscar o filho e questionou como havia sido a sessão. A vítima contou que a fisioterapeuta havia “batido em sua cabeça”.

Já no dia 19 de julho, a família teve acesso às filmagens de todas as sessões da criança, onde foi possível identificar as agressões da fisioterapeuta contra o menino. Além disso, a fisioterapeuta deixava a vítima sozinha sozinha em uma mesa, enquanto ficava no celular, diz o documento da polícia.

De acordo com a mãe, o filho iniciou a terapia ocupacional em março deste ano e tinha duas sessões por semana. Ao todo, ele foi atendido pela clínica por cerca de 4 meses.

“Senti uma angústia gigantesca desde o primeiro vídeo e segui chorando do início ao fim, pois vi claramente que ela não realizava nenhum tipo de intervenção terapêutica com ele… E quando assisti à primeira agressão, não aguentei e parei de assistir”, lembrou a mãe.
No início da semana, a fisioterapeuta foi indiciada por maus-tratos. Em depoimento, Samia Patricia Riatto Watanabe negou as acusações.

No entanto, a delegada Juliana Tuma, titular do 22º DIP, informou que além da denúncia inicial, outras duas foram registradas nesta semana. As partes envolvidas foram chamadas para esclarecimentos. O Inquérito Policial foi concluído e remetido à Justiça.

 

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.