26.3 C
Rio Branco
13 outubro 2021 10:45 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

“Não há bolso que aguente”, dispara deputado Leo de Brito sobre novo aumento da gasolina e do gás

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Ninguém aguenta

Mais um reajuste no preço da gasolina e do gás de cozinha foi anunciado pela Petrobras. O aumento será de 7,2% em cada produto e começa a valer a partir deste sábado (9). Ninguém aguenta mais tanto aumento, ainda mais no Acre, que paga uma dos maiores valores do país nos dois produtos.

Botou a boca no trombone

O deputado federal Leo de Brito (PT) usou as redes sociais para criticar o mais novo aumento no preço da gasolina e do gás. “Ao longo do ano, o valor dos combustíveis já foi reajustado ao menos 10 vezes e o gás de cozinha, ao menos sete vezes. Não há bolso que aguente. Enquanto os acionistas da Petrobras lucram, o povo brasileiro padece e cada vez mais cresce o número de vítimas de queimaduras, porque sem dinheiro para pagar pela botija de gás, as pessoas estão recorrendo a outros métodos para cozinhar seus alimentos, como o uso de álcool”, escreveu.

Vale Gás

Na mesma postagem, o deputado lembrou do projeto que é co-autor na Câmara Federal, o “Vale Gás”, que apesar de aprovado ainda não foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Se o governo não faz, a gente faz! Aprovamos a criação do “Vale Gás Social”, com desconto de 50% no valor da botija, mas o presidente ainda não sancionou o projeto. O povo não pode mais esperar”, disse.

Saúde parada

Na noite de ontem, em assembleia geral, os médicos que trabalham para a Prefeitura de Rio Branco decidiram deflagrar a greve da categoria. Eles exigem a abertura de negociações para a reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR). A princípio, a paralização durará 30 dias.

Justificativa

A justificativa do Sindmed para a greve é que eles aguardam há meses o retorno de uma nova reunião para iniciar as negociações sobre o PCCR, mas a Semsa se recusa a responder. Com a falta de atualização, pode existir uma decisão de demissão coletiva, deixando dezenas de unidades sem profissionais. “A renovação do PCCR foi uma promessa feita pelo próprio prefeito Tião Bocalom que se reuniu com os membros Sindmed-AC ainda na campanha eleitoral para dialogar com a classe sobre os problemas da saúde no município”, diz trecho do material divulgado pelo sindicato.

Até tu Brutus

Até a secretária municipal de Saúde (interina), Sheila Andrade, confessou que o os servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) são mal remunerados. A declaração foi dada ontem, durante a sessão na Câmara de Vereadores de Rio Branco.

Contornou

Após a repercussão da declaração, a secretária tentou contornar o “mal entendido”. Em nota, a chefe da pasta da Saúde diz que “admite, que todos os profissionais de saúde, sejam eles municipal ou estadual (…) merecem sim, ter um melhor reconhecimento laboral e é isso que a nova gestão do prefeito Tião Bocalom, vem trabalhando, com afinco, para levar mais dignidade à todos os trabalhadores do nosso município”.

Voando alto

A deputada federal Vanda Milani (Solidariedade) comentou ontem, no programa Papo Informal do site Notícias da Hora, sobre os boatos a respeito do “seu helicóptero”. De acordo com a deputada, o helicóptero não é dela, apesar de ter condições de comprar um. A aeronave na verdade foi emprestada pelo PROS, partido no qual Milani deve se filiar assim que a janela partidária permitir.

Reviravolta socialista

Após uma reportagem da Folha de S. Paulo afirmar que em uma reunião entre Lula (PT) e a cúpula nacional do PSB teria ficado acertado que o Acre seria um dos estados prioritários dos socialistas na disputa pelo governo estadual, hoje uma entrevista com o presidente do partido, Carlos Siqueira, o Acre aparece fora da lista de estados prioritários.

Acre fora

Ao portal IG, Siqueira afirmou que o partido vai se concentrar em cinco estados na eleição para governadores: Pernambuco e Espírito Santo, onde a sigla já governa, São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Dessa forma, o pré-candidato ao governo do Acre pelo PSB, o deputado estadual Jenilson Leite, pode não ter o aporte que esperava da cúpula nacional para entrar na disputa pelo Governo no ano que vem.

Tá eleito

Com o trabalho que vem fazendo e com a amplitude que conquistou, sobretudo nos últimos meses, quando intensificou as visitas ao interior em virtude da pré-campanha para o Governo do Estado, Jenilson tem uma cadeira garantida na Câmara Federal, caso decida disputar a vaga em detrimento do Executivo.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.