27.3 C
Rio Branco
10 janeiro 2022 5:25 pm

Alessandra Marques comemora escolha de novo procurador-geral do MPAC: “Verdadeira correção de rumos”

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

Última atualização em 29/11/2021 17:30

A promotora Alessandra Marques usou o seu perfil nas redes sociais para comemorar a escolha do colega de profissão, Danilo Lovisaro do Nascimento, para o cargo de procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MP-AC).

A decisão foi tomada pelo governador Gladson Cameli a partir da lista tríplice enviada pelo órgão ao executivo e publicada nesta segunda-feira (29). Lovisaro obteve a maior votação após a eleição que ocorreu na última sexta-feira (26).

Alessandra considera que a vitória de Danilo é importante para “dirigir e mudar os rumos do MPAC nos próximos anos”.

“Algumas coisas nos trazem alegria e orgulho alheio. Estou assim, alegre e sentindo orgulho de meu amigo e colega de trabalho, o Professor Danilo Lovisaro do Nascimento, por sua votação e por ter sido escolhido para dirigir e mudar os rumos do Ministério Público do Acre nos próximos dois anos”, escreveu a promotora.

“A mudança nos rumos da instituição, desde já, anuncia-se como uma mudança qualitativa, uma verdadeira correção de rumos com única finalidade: dar cumprimento à Constituição e, assim, defender os direitos fundamentais”, continuou.

Marques finalizou a publicação com alguns elogios a Nascimento.

“O novo PGJ é estudioso, trabalhador e acima de tudo técnico. A esperança nem sempre está no futuro. Neste caso, a esperança de justiça já é presente”, concluiu.

Quem deixa o cargo em dezembro de 2021, após dois mandatos consecutivos, é a promotora Kátia Rejane – com quem Alessandra teve algumas divergências no ano passado, pelo que foi noticiado em vários jornais do Estado.

Rejane publicou uma nota em maio de 2020, após Alessandra emitir uma opinião a respeito do uso da cloroquina para tratamento contra a covid-19, afirmando que “membros do Ministério Público não possuem capacidade técnica ou conhecimento para indicar ou prescrever uso da cloroquina ou qualquer outro medicamento para o tratamento do novo coronavírus”.

A titular da Promotoria de Defesa do Consumidor rebateu a nota em uma publicação feita em seus perfis nas redes sociais, destacando que estava apenas exercendo seu direito de se expressar em um espaço virtual, como cidadã.

“A todos que me leem, deixo pela milésima vez claro que este perfil é meu, pessoa e cidadã Alessandra Garcia Marques. Direitos fundamentais são irrenunciáveis. Dos meus direitos jamais, em tempo algum, abrirei mão, nem por nada nem por ninguém. Espero ter sido clara! Abraço a todos!”, escreveu a promotora.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.