30.3 C
Rio Branco
24 novembro 2021 2:04 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Fernanda Hassem diz que é vítima de fake news e avisa: “Vamos acionar a Justiça”

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Fake News

A prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem (PT), conhecida pela sua calma, saiu do sério hoje. O motivo foi o que ela classificou como uma “fake news”, publicada por um site da região. A notícia era que a Prefeitura estava em atraso no pagamento de FGTS e que iria demitir mais de 150 servidores.

Chateada

A gestora não ficou nem um pouco feliz com a repercussão da notícia. Hassem reclamou que ao invés de estar cuidando da cidade, que recebeu muita chuva nesta sexta-feira (12), precisou parar o trabalho para desmentir o site. “Fomos surpreendidos com uma fake news nessa manhã, onde um jornal cita o meu nome e diz que nossa gestão deixou de pagar FGTS, que tivemos bens bloqueados e vamos demitir funcionários. E nada disso é verdade”, disse à coluna.

Problema antigo

De acordo com a prefeita, os problemas da gestão petista com o site são antigos. “Eu tenho sido caluniada há vários meses por essas pessoas, que inclusive são financiadas por um casal com interesses políticos e estão me atacando de todas as formas”, afirmou.

Desmentiu

Ainda de acordo com a chefe do Executivo de Brasileia, a gestão dela não só tem pago todas as contas em dia, como tem honrado as dívidas feitas por gestões anteriores. “A nossa gestão, desde 2017, nunca deixou de pagar encargos. Todos os nossos encargos são pagos em dias. O que temos atrasados aqui são de gestões anteriores. O município paga mais de R$ 380 mil em dívidas herdadas de 3 prefeitos anteriores. Nós assumimos um dívida de R$ 5 milhões de INSS de uma gestão, R$ 2 milhões de FGTS de outra gestão. E naturalmente os servidores que foram lesados procuraram a Justiça. E quando fomos acionados, resolvemos não recorrer”.

Repercussão

Como resultado do boato, a prefeita disse que já recebeu diversas ligações de servidores preocupados com a possibilidade de não receberem seus pagamentos. “Nós não vamos fazer isso. A lei foi feita para ser cumprida”, asseverou.

Justiça

Hassem garantiu que, dessa vez, não vai deixar barato e vai acionar a Justiça. “Nós já acionamos o Sindicato dos Jornalistas e vamos acionar a Justiça. O trabalho da imprensa do Acre e de Brasileia não pode ser manchado por vigaristas. Eu aprendi que se a gente não combater a mentira, ela acaba se tornando verdade. Vamos deixar as eleições para o período de eleições. Não sou candidata a nada. Eu quero é trabalhar por Brasileia”.

Vai aumentar

O governador Gladson Cameli (PP) anunciou ontem, em uma reunião deputados estaduais da base do governo, que vai aumentar as emendas parlamentares de R$ 500 mil para R$ 1 milhão. O aumento deve ter validade já a partir do próximo ano.

Notificação

A Câmara de Vereadores de Rio Branco deve ser notificada, em breve, pelo Tribunal de Contas do Acre, a cerca do aumento salarial dos médicos do município para o ano de 2021. “A Câmara de Vereadores deverá sim ser notificada de que no momento, por força de lei, não é permitido o reajuste. No entanto, qualquer alteração neste sentido poderá ser feita desde que com efeito financeiro para o exercício seguinte, em 2022”, diz trecho da nota emitida pelo TCE.

Criticou

Na recente polêmica sobre a suspensão das emendas do relator pelo STF, o governador Gladson Cameli usou as redes sociais para criticar a decisão do Supremo. “Hoje, como governador, lamento que estejamos correndo o risco de não obtermos todo o orçamento que necessitamos para executar obras de grande importância para a nossa gente”, disse.

Saiu em defesa

Na mesma postagem, o governador também saiu em defesa do senador Marcio Bittar. “Me entristeço ao observar a postura de alguns políticos que diante desse quadro, usam as redes sociais para comemorar o prejuízo que nosso estado pode sofrer. Aqueles que agem assim para atingir o senador Marcio Bittar, na verdade estão fazendo oposição ao Acre”.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.