26.3 C
Rio Branco
25 novembro 2021 8:28 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

“Hoje nós estamos em uma situação muito confortável, tem candidato sobrando”, diz Pedro Valério sobre chapa do PSL para 2022

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

No aguardo

Enquanto aguarda a homologação da fusão com o DEM, o PSL do Acre não fez corpo mole e já se antecipou na montagem das chapas proporcionais para o ano que vem. Enquanto o União Brasil não sai, o PSL, partido presidido no Acre pelo senador Marcio Bittar, já fez o dever de casa.

Situação confortável

De acordo com o vice-presidente regional da legenda, Pedro Valério, o time do partido para 2022 já está montado. “Hoje nós estamos em uma situação muito confortável, tem candidato sobrando”, disse.

Fartura

A situação realmente parece confortável dentro do PSL, tanto que na chapa de estaduais, que a legislação eleitoral permite o número máximo de 25 candidatos, o partido já tem 42 nomes, quase o dobro do teto. A chapa para deputado federal, também tem candidatos “sobrando”, segundo o vice-presidente.

Fusão

Logo após se concretizar a fusão do PSL com o DEM, quando se transformarão em União Brasil, as chapas, já inchadas, precisarão passar por uma readequação. “Quando a fusão com o DEM for homologada, alguns nomes do DEM virão pra compor a nossa chapa”, disse à coluna o vice-presidente do PSL no Acre.

Liberou

Em um comunicado à imprensa, emitido hoje, a executiva estadual do MDB liberou o deputado estadual Roberto Duarte para buscar outra legenda. De acordo com a nota, “o MDB o libera para buscar outros espaços, antes da ocorrência da chamada janela de mudança partidária, que se abrirá em março de 2022”.

Justificativa

O motivo da “dispensa”, ainda de acordo com a nota, é que “o MDB precisa do empenho de todas as suas forças vitais (parlamentares, dirigentes partidários, filiados e simpatizantes) para vencer essa luta decisiva [a formação das chapas proporcionais para a disputa de 2022] para a própria existência do partido como agremiação política, no Acre. Infelizmente, para o MDB, o deputado Roberto Duarte não compartilha dessa visão partidária de emergência”.

Surpreso

Ao ContilNet, o deputado se disse surpreso com o teor da nota. “Pra mim, foi uma surpresa. Nunca disse que sairia do partido. Eu já cheguei a dizer o seguinte: se o partido não montar chapa competitiva, eu saio. Isso porque não seria viável. Como um político permaneceria em um partido que não oferece perspectivas em termos eleitorais? Eu recebi essa carta, mas não entendi o teor”, disse.

Lisonjeado

Além da surpresa, o deputado, em tom de ironia, também se disse honrado com o documento. “Me sinto lisonjeado em o MDB reunir a sua executiva somente para deliberar uma nota à imprensa em torno do meu nome, para me liberar do partido”, disparou.

Sem validade

Ainda segundo o deputado, a carta não tem validade jurídica, já que para o TSE, a carta de anuência foi “desprezada”. No histórico de julgamentos do Tribunal Superior Eleitoral, mandatos de deputados que mudaram de partido fora da janela partidária já foram cassados, mesmo com a “liberação” do partido, em razão de desfiliação sem justa causa.

Sem mágoa

De acordo com o presidente regional do MDB, o deputado federal Flaviano Melo, a decisão pela liberação do deputado não foi dele, e sim da direção. “Em primeiro lugar, é importante esclarecer que não é o Flaviano quem ‘liberou’ o Roberto. A Executiva Estadual do MDB, eleita em convenção pelos membros do partido, se reuniu e entendeu que seria necessário se posicionar a respeito de uma eventual saída do parlamentar (…) o partido só quis deixar claro que ele pode buscar novos ares, sem qualquer mágoa ou preocupação”, disse ao ContilNet.

Alianças

Em entrevista a uma rádio comunitária em Tarauacá, onde está desde o fim da última semana para cuidar da avó que está debilitada, o deputado Jenilson Leite (PSB), pré-candidato ao Governo do Estado, confirmou que já foi procurado para conversas pelo senador Sérgio Petecão (PSD), que atualmente é seu adversário político, já que também concorrerá ao Palácio Rio Branco. No que depender do senador, uma aliança deve acontecer. Petecão não esconde sua admiração pelo deputado, mas Jenilson garante que sua pré-candidatura está de pé e só falará de alianças no ano que vem.

Sem apego

Ainda na entrevista, o deputado afirmou que, se eleito, seu mandato não será feito para cuidar de empresas, e sim do povo. Jenilson disse ainda não ter apego ao poder, pois sua intensão é “cuidar do povo”. O socialista tem andado muito e está animado: “Há um sentimento de mudança, de que as coisas precisam melhorar”.

Enquete

O ContilNet está com mais uma enquete aberta, desta vez, para eleger o melhor prefeito do Acre. O internauta pode acessar a votação clicando AQUI e escolher, entre os 23 prefeitos dos municípios acreanos, o que tem feito o melhor trabalho.

Mutirão

A enquete tá gerando um burburinho tão grande que tem até prefeito fazendo mutirão para levar o título de “melhor prefeito do Acre” pra casa.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.