30.3 C
Rio Branco
24 novembro 2021 3:34 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Homem é preso suspeito de estuprar filha de 4 anos de militar que lhe devia R$ 100

No momento do crime, a vítima e outras três crianças estavam sozinhas na casa. Homem nega o abuso sexual.

POR G1

Um homem de 44 anos foi preso na última segunda-feira (08), em Campo Grande, suspeito de abusar de uma criança, motivado pela dívida de R$ 100 que o pai dela tinha com ele. O homem nega o crime e diz que tentava fazer a pequena parar de chorar. Ele passa por audiência de custódia nesta quarta-feira (10).

Conforme a polícia, vizinhos viram um homem invadir a casa e avisaram o cunhado do morador, que reside nas proximidades. Quando este chegou no local, se deparou com o suspeito sobre a sobrinha de 4 anos e ela chorando, pedindo para que parasse.

O suspeito foi então amarrado na rua, deitado com as mãos nas costas, e a Polícia Militar (PM) chamada e o prendeu. Ele aparentava estar alcoolizado.

Motivação

De acordo com relato do pai da menina à polícia, um militar do Exército de 32 anos, ele havia saído para trabalhar e deixado as quatro filhas – de 1, 4, 8 e 10 anos – em casa com a mãe. A mulher havia saído para ir ao mercado e as meninas ficaram sozinhas trancadas.

Neste período, o suspeito teria entrado na residência e abusado da filha de 4 anos. O militar contou aos policiais que as crianças disseram que o despachante chegou ao local e pediu para que abrissem a porta.

As pequenas abriram e ele então teria agarrado a vítima. Ela e as outras crianças começaram a gritar, vizinhos ouviram e chamaram o cunhado.

Despachante nega

O suspeito disse que foi até a casa do militar cobrar uma dívida de R$ 100 referente a um serviço de liberação de veículo no pátio do Detran. Como o devedor não estava em casa, o esperou na varanda.

Ainda na versão do preso, uma das filhas do militar começou a chorar, ele tentou ajudar a menina, que acabou gritando mais e então os vizinhos foram ao local e passaram a agredi-lo. A polícia chegou e ele acabou preso.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.