24.3 C
Rio Branco
13 janeiro 2022 8:38 am

Competitivo, Whindersson explica “maluquice” por lutar contra Popó: “É como comédia, é de rapidez que preciso”

Motivo de ter proposto desafio contra tetracampeão mundial é relatado no livro do humorista, “Vivendo Como Um Guerreiro”. Biografia detalha paixão pelo boxe: “Arte que desafia o cérebro"

POR GE

Última atualização em 13/01/2022 08:38

Sucesso em tudo que faz, Whindersson Nunes se desafiou. O humorista, youtuber, cantor, influenciador digital, rei das visualizações – e dos virais – com dezenas de milhões de fãs vai lutar contra Acelino Popó Freitas, combate de boxe marcado para o dia 30 de janeiro, em Balneário Camboriú. O anúncio da luta estourou na web, e vem a questão: “que diacho que tu quer num ringue de boxe, menino”?

As respostas foram narradas por Whindersson, em sua biografia. Lançado em novembro do ano passado, o livro “Vivendo Como Um Guerreiro” conta com histórias que aproximaram o humorista do “alô vó, tô reprovado” e “qual a senha do wi-fi”– lembra? Inesquecível! – ao boxe. Além de ajudar na luta contra a depressão, revelado ao Esporte Espetacular, a nobre arte é um desafio ao cérebro do comediante. Para Whindersson, o boxe é como a comédia, algo que ele sabe muito bem fazer, por exigir rapidez nas decisões.

– Dizem que o boxe é a arte que mais desafia o cérebro. Porque você tem que lidar com respostas muito rápidas. Em um piscar de olhos, você tem que saber o que fazer. Se deixa o rosto ou não. Se bate ou se defende. Se vai para cima ou se recua um pouco. Como na vida. Como nos sonhos que cimentam os meus caminhos. É como na comédia, é de rapidez que preciso. É isso – descreveu Whindersson, em um trecho reservado ao boxe no seu livro.

Whindersson Nunes, boxe — Foto: Reprodução/Instagram/Whindersson Nunes
Whindersson Nunes, boxe — Foto: Reprodução/Instagram/Whindersson Nunes

Aos 27 anos de idade, Whindersson também contou como as pessoas reagiram após o humorista convidar Popó para lutar.

Para o humorista, “maluquice” pode ser um termo aceito.

– Eu escolho as minhas maluquices. (…) Como meu intuito é sempre me comunicar, essa é uma ótima forma de me comunicar com o mundo da luta. Eles também têm depressão, têm medo, têm fome – descreveu Whindersson.

Whindersson começou no boxe porque estava preocupado com duas situações de saúde. A primeira, a gordura no fígado em nível alarmante – “pode causar hepatite”, alertou o humorista no livro. Um exercício rápido seria o necessário.

A segunda, um problema no ombro esquerdo que o faz sair do lugar – “o médico disse o que poderia fazer era fortalecer o músculo, e o boxe seria um bom esporte”.

O boxe também atiçou o seu lado competitivo.

– Atualmente, eu treino boxe quase todo o dia. Geralmente, descanso um dia na semana, apenas. Treino com gente de MMA, com treinadores profissionais de boxe. E aprendo no esporte e na vida. Como eu sempre busco os melhores, fiz isso também no boxe.

Whindersson Nunes — Foto: Reprodução/Instagram/Whindersson Nunes
Whindersson Nunes — Foto: Reprodução/Instagram/Whindersson Nunes

– Resolvi lutar com um tetracampeão mundial em duas categorias diferentes de boxe, o Popó. Eu sou competitivo, sou competitivo comigo mesmo. (…) Minha competição é sempre comigo mesmo. Se precisar lutar, eu luto – contou o humorista.

– Meu pai e tantos pais e filhos ficavam até 4h da manhã para ver o Popó. E, aos poucos, fui entendendo o mito que era Popó – disse Whindersson, sobre seu adversário.

No livro, Whindersson expressa muito carinho pelo esporte. A luta de boxe tendo Popó como adversário no ringue é mais um sonho perto de ser realizado na carreira de quem nasceu em Bom Jesus, a mais de 600km da capital Teresina.

– Comecei a gostar do esporte, a querer me superar nele – enfatizou o humorista, na biografia.

Whindersson Nunes no boxe — Foto: Reprodução/Instagram/Whindersson Nunes
Whindersson Nunes no boxe — Foto: Reprodução/Instagram/Whindersson Nunes

– Os sonhos nos ensinam que aqueles que têm caminhos vão longe. Que os que não têm, ficam parados e desperdiçam outros conhecimentos. Não há caminho sem sonhos. Eu ainda sonho. E são os meus sonhos que me impedem de empacar em algum lugar. Que me fazem desafiar a mim mesmo por aquilo que eu quero, de alguma maneira, dizer.

E se Whindersson perder?

Ele se mostra preparado.

– (derrotas) São capítulos da vida de uma pessoa. É a novela dela. O que acontece chama outra coisa e outra coisa e, assim, sucessivamente. Alguns capítulos terminam bem, outros nem tanto. Mas a novela prossegue até o capítulo final que, no caso da vida, ninguém sabe quando é.

Whindersson Nunes — Foto: Reprodução/Twitter
Whindersson Nunes — Foto: Reprodução/Twitter

O combate Whindersson x Popó não será o único no dia 30 de janeiro, em Balneário Camboriú, Santa Catarina.

A organização do Fight Music Show liberou quais lutas irão compor o card do evento. O organizador Mamá Brito confirmou os combates entre o ex-BBB Yuri Fernandes contra o medalhista olímpico Esquiva Falcão e Rogério Minotouro x Leonardo Guimarães, o Leleco, ex-UFC.

Luta mais falada do momento

Whindersson x Popó é o evento principal do Fight Music Show. A luta, esperada desde o ano passado, foi confirmada na última sexta-feira, agendada para Balneário Camboriú. Para o duelo, o humorista iniciou a dieta para perder 6kg.

Nos últimos dias, Popó e Whindersson mostraram seus treinos de boxe. O humorista surpreendeu ao exibir uma performance pesada, reagindo com “vou lhe pegar”. Enquanto isso, o ex-pugilista arrastou um caminhão.

Famosos também têm comentado o combate. O cantor João Gomes, amigo de Whindersson, encontrou com o ex-pugilista no aeroporto e brincou com “irmão, cuidado”.

Whindersson treino boxe — Foto: Reprodução/Instagram
Whindersson treino boxe — Foto: Reprodução/Instagram

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.