23.3 C
Rio Branco
26 maio 2022 10:39 pm

Daciolo: facada em Bolsonaro foi “espetáculo da maçonaria”

POR PODER 360

Última atualização em 07/01/2022 19:01

O ex-candidato à Presidência da República Cabo Daciolo (Brasil 35) disse nessa 2ª feira (3.jan.2022) que não acredita na facada no presidente Jair Bolsonaro (PL). Em vídeo publicado em seu perfil no Facebook, o ex-bombeiro militar disse que o episódio foi “um espetáculo da maçonaria e da nova ordem mundial”.

A teoria do ex-deputado é que Bolsonaro estava doente à época do atentado, em setembro de 2018. Daciolo afirmou que o então candidato ao Planalto teria que passar por um procedimento cirúrgico e por isso forjou a facada sofrida em Juiz de Fora (MG).

“Eu não acredito em facada de Bolsonaro nenhuma […] Eu vou dizer o que que eu que eu acredito: Bolsonaro estava com uma enfermidade e tinha que fazer uma cirurgia. E aí a maçonaria junto com a nova ordem mundial montou todo esse espetáculo. É o que eu acredito. É o que está no meu coração”, declarou Daciolo.

O vídeo foi gravado depois que Bolsonaro foi internado em São Paulo para tratar uma suboclusão intestinal. O chefe de Estado disse que o problema de saúde é uma sequela da facada.

Daciolo não foi único a encampar a tese de que a facada foi forjada pelo presidente Jair Bolsonaro. Nessa 2ª feira (3.jan), o termo “fakeada” –fake significa “falso” em inglês– foi alçado a um dos assuntos mais comentado no Twitter.

A teoria de conspiração do ex-congressista não parou por aí. Para sustentar a tese de que a facada não ocorreu, ele levantou suspeitas sobre a presença do pastor Silas Malafaia no hospital onde Bolsonaro foi internado após o episódio. Daciolo afirmou que o apoiador do presidente usou o feriado de 7 de Setembro de 2018 para convocar o povo em uma “caminhada desse governo maçom”.

DESISTÊNCIA DA CANDIDATURA

Cabo Daciolo anunciou em 16 de dezembro que desistiu de concorrer à Presidência da República nas eleições de 2022. Ele anunciara sua pré-candidatura no final de outubro, após se filiar ao partido Brasil 35.

Com sua saída da corrida eleitoral, ele declarou em vídeo seu apoio ao pré-candidato do PDT, Ciro Gomes, para o Planalto. O ex-deputado pediu desculpas aos eleitores por sua decisão.

Nas eleições de 2018, Daciolo terminou em 6º lugar, com 1,3% dos votos para o governo federal. Desbancou candidatos como Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (ex-MDB, agora PSD).

 

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 5.957 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.