21.3 C
Rio Branco
30 junho 2022 9:11 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Grupo oferece R$ 50 mil para quem indicar paradeiro de assassinos de produtor rural e filho agrônomo

Eles foram mortos no dia 14 de janeiro, na fazenda deles, em Amambai, região de fronteira com o Paraguai. Polícia investiga o caso como latrocínio

POR G1

Grupo formado por produtores rurais e outros moradores de Amambai, a 351 km de Campo Grande, na região de fronteira com o Paraguai, oferece R$ 50 mil para quem indicar o paradeiro dos assassinos de Olenir Nunes da Silva, conhecido como Nego Silva, de 50 anos e do filho dele, o engenheiro agrônomo, Antônio Alexandre Nunes da Silva, de 23 anos.

“A recompensa é para quem der o paradeiro e a polícia for lá e localizar”, disse o presidente do Sindicato Rural da cidade, Rodrigo Lorenzeti. O Sindicato apoia na organização do rateio e efetivação do pagamento.

Conforme Lorenzeti, várias pessoas já se comprometeram a participar do rateio do pagamento da recompensa.

Arma deixada por assassinos de pai e filho em Amambai — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Arma deixada por assassinos de pai e filho em Amambai — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Crime

Segundo a polícia, pai e filho teriam sido mortos durante assalto. Os bandidos teriam deixado o rapaz amarrado no quarto e quando saíram, se depararam com o produtor rural chegando na fazenda.

Olenir Nunes teria trocado tiros com os criminosos, que depois retornaram para o quarto onde o rapaz estava e o mataram. Policiais civis e militares procuram pelos bandidos, que teriam esquecido uma pistola na caminhonete das vítimas.

Investigação

A Polícia Civil já ouviu o irmão da vítima, cunhada e capataz da fazenda. Este último disse aos policiais que viu toda a execução, mas que não sabe dizer quem são os dois assassinos. As outras duas testemunhas disseram ainda que os suspeitos não seriam ex-funcionários da fazenda.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.