25.3 C
Rio Branco
19 maio 2022 3:31 pm

Homem convencia crianças a mandar vídeos sem roupa em jogo on-line

POR METRÓPOLES

Última atualização em 25/01/2022 21:06

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) prendeu nesta terça-feira (25/1) um homem de 45 anos que mantinha em seu celular fotos e vídeos de crianças nuas. O suspeito morava em Águas Lindas (GO), no Entorno do DF.

A informação sobre a localização e atuação do suspeito foi repassada à corporação goiana pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), as duas polícias atuam em cooperação para combater os crimes de pedofilia.

Segundo explica o delegado Vinícius Máximo, do Núcleo de Investigação de Homicídios de Águas Lindas, o homem convencia as crianças a passar fotos após “lançar desafios” aos menores de idade.

“Na delegacia, ele afirmou que entrava em contato com as crianças no jogo Free Fire, on-line, e ali ele as chamava para o aplicativo Whatsapp e em conversas, sempre falando de desafios, pedia vídeos nu, sempre crianças homens. A partir do momento que eles enviavam esses vídeos, ele passava a ameaçá-las, dizendo que se não enviassem mais ele postaria o primeiro vídeo na internet”, narra o delegado sobre o método de atuação do aliciador.

Mensagens de celular do homem detido cedidas pela polícia mostra uma dessas conversas, que chega a ter cunho sexual. “Manda vídeos, grava aí”, manda o suspeito, ao que a criança argumenta que não poderia porque a irmã dele estava em casa. “Entao vou postar agora”, ameaça o adulto. “Mano minha vontade é se matar de vdd”, responde o menor de idade. Em outro momento, após receber um vídeo, o autuado digita: “Meu pau ta duro igual aquela vez lembra”.

Leia mais em Metrópoles.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 5.914 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.